Pesca: Pescadores lúdicos em marcha lenta de protesto contra restrições na Costa Vicentina

Pescadores lúdicos do Algarve e Alentejo promovem domingo uma marcha lenta automóvel entre Lagos e Sagres, de protesto contra a Portaria que restringe a actividade piscatória no Parque Natural da Costa Vicentina e Sudoeste Alentejano.

A Portaria 143/2009, publicada em 05 de Fevereiro, em Diário da República, restringe a pesca lúdica a quatro dias por semana e a períodos de tempo limitados, impondo aos pescadores a prática da actividade entre quinta-feira e domingo e, aos feriados, do nascer ao pôr-do-sol.

Além de limitar o período de pesca, a decisão obriga a uma época de defesa de espécies piscícolas, nomeadamente o sargo, entre 01 de Janeiro e 31 de Março, e do bodião, entre 1 de Março e 31 de Maio, bem como a interditação de zonas e a redução do peso máximo de pescado.

Descontentes com a decisão governamental e contra as novas regras impostas, os pescadores desportivos agendaram para domingo uma concentração na cidade de Lagos, de onde partem em marcha lenta automóvel até à Fortaleza de Sagres, um dos muitos locais escolhidos para a pesca lúdica.

À contestação dos pescadores, junta-se também a dos autarcas das câmaras de Vila do Bispo, Aljezur e Odemira.

Para analisar a recente legislação aplicável à pesca lúdica, a autarquia de Aljezur convocou para hoje, às 17:00, no quartel dos bombeiros locais, uma reunião com a população, onde será debatida a portaria que considera "causar justificadamente a maior revolta das populações do Parque Natural e dos pescadores em geral".

Para o presidente da autarquia, Manuel Marreiros (PS), "cada vez mais se ganha a convicção de que viver num Parque Natural não é um benefício, mas sim um castigo".

Também o PSD de Vila do Bispo considera a legislação "precipitada, inoportuna, desajustada e injusta", destacando a pesca lúdica como "muito importante para a economia" daquele concelho do Oeste algarvio.

Por seu turno, o PCP de Aljezur classifica a Portaria como inconstitucional, destacando que a Constituição da República Portuguesa diz, claramente, no artigo 13º que todos "temos os mesmos direitos" e acusa o Governo de "ataque aos mais desprotegidos".

Os comunistas argumentam que a nova norma, que define que a apanha "só é permitida" aos detentores de licença de pesca lúdica que sejam naturais ou residentes nos concelhos de Sines, Odemira, Aljezur e Vila do Bispo, "vai contra o princípio de igualdade, pois ninguém deveria ser privilegiado, de acordo com o seu território de origem".

Pescadores, autarcas e partidos políticos da região, exigem a suspensão imediata da portaria 143/2009, de 05 de Fevereiro, e prometem "lutar pela sua revogação".

Fonte: JN


3 comentários:

Anónimo disse...

Claro que é um disparate.
Então o mar é só para os residentes?
E quem tem lá uma courela e paga IMI, já não pode pescar?

Eu tenho uma cana de pesca, moro no norte, há mais de 5 anos que não exerço e quando exerci pesquei um peixinho pequeno, mas passei horas a dar banho à minhoca sonhando pescar um peixão.

Estou contra todas as restrições, é um disparate isto da licença mais o defeso. O defeso para os pescadores lúdicos? Estes prejudicam o quê?
EStão loucos esses do ambiente do ministério e do ICN.
E em Lisboa, ninguém vê estes disparates?
Isto não é um País, é uma QUINTA!
Abel Cortez

Sargus disse...

Viva Abel Cortez

Desde já obrigado pelo comentário.

"Claro que é um disparate.
Então o mar é só para os residentes?
E quem tem lá uma courela e paga IMI, já não pode pescar?"

Se o POPNSACV for para a frente nos moldes em que está, o amigo vai ter de comunicar ao ICNB para pastorear o gado dentro das suas terras, o amigo vai ter de informar o ICNB quando vai à pesca, em que dias e o que apanhou, o amigo vai ter de cultivar nas suas terras apenas aquilo que o ICNB deixar, estas e outras coisas...

Isto já não é nosso, é do ICNB, e o que eles já fizeram por isto?

Nada, só proibições, sempre se afastaram das populações, os funcionários é zero de fiscalização, sensibilização, as viaturas deles andam a cair aos bocados, nem dinheiro tem para combustível, em suma um fiasco ditador...

Agora querem-nos tomar as terras e os direitos que sempre tivemos, não podemos deixar, já chega.

Isto não é um País, é uma QUINTA!

A QUINTA tem de acabar de vez!

Abraço.

Anónimo disse...

VAI HAVER A MANIFESTACAO EM ODEMIRA NO 14 de MARCO SIM OU NAO.
ABRACO P.SUICA