Fiscalização já começou

É o testemunho de uma pessoa que estava no local.

Estive agora mesmo com um mariscador, daqueles que possui licença para a actividade comercial, que me transmitiu que a fiscalização na zona das Carriagens - Concelho de Aljezur já se iniciou, tendo as autoridades procedido ao levantamento de três autos
in loco, de três pessoas, uma das quais detentor de 3 kg de perceves, outra de apenas ter em sua posse três pequenos polvos (esta pessoa é portadora de uma deficiência numa perna), outro que tendo tentado "fugir" às autoridades foi apanhado.

No local encontravam-se 4 viaturas das autoridades tento estado também uma viatura 4x4 mais a norte na zona dos "canteiros".

Será este o caminho, a perseguição de uma legislação falsa e completamente aliada à realidade, serão estes os verdadeiros criminosos que andam a delapidar os recursos naturais, certamente que não.

Mais uns €uros para os cofres do Estado, isso é que interessa.

10 comentários:

Ricardo disse...

Provavelmente, quem recebe ordens terá de as cumprir, e os agentes se calhar não terão outro remédio.

Não sei, por outro lado à questão da distribuição das receitas da fiscalização.

O que sei é que envergonha a maneira como são tratadas as pessoas enquanto assistem à impunidade dos verdadeiros culpados.

Independentemente de estarem em desrespeito à Lei, será sempre completamente errado e subvertido esta "pirâmide invertida" no que toca ao combate em questão.

"O Mar bate na rocha mas quem se f*** é o Mexilhão!"

Ricardo Silva

Manuel C disse...

Ora viva, desde já manifesto o meu agrado pela fiscalização, mas que comecem pelos profissionais e não pelos desgraçados que andam a tentar apanhar alguma coisa para o seu sustento pode ser que assim alguma coisa de jeito se faça por estas gentes locais manifesto o total desagrado pelas portarias anti sócias que lesam as pessoas residentes no parque.

Manuel C

Sargus disse...

Viva Ricardo.

Estamos perante a pirâmide invertida como tu dizes, e com razão.

O problema não são aquelas pessoas de certeza absoluta, mas infelizmente são apanhadas nas redes das portarias que se esqueceram delas, as omitiram, etc.

Ainda gostava de saber se estas pessoas dispõem de recursos para pagar as coimas, as licenças e as injustiças que o dia a dia as cercam...

Por uns pagam os outros bem sei disso, mas isto é completamente revoltante.

Algo vai ter de ser feito.

Abraço.

Sargus disse...

Boas Miguel C.

Também nos os lúdicos manifestamos o agrado das fiscalizações e nem nos preocupamos com elas se as coisas fossem feitas com bom senso, não é o caso.

Estas pessoas são residentes na área, certamente vão ás marés como toda a sua vida foram, à procura do seu sustento ou de algum complemento porque a vida não está nada facil, depois quixam-se do aumento da criminalidade, se nem já o ganha pão se pode retirar do mar, haja paciencia.

Abraço e obrigado pelo comentário.

Anónimo disse...

Blog fantastico.
Opinião actual
e a indignaçao é realmente fundamentada.
não faz sentido que as limitaçoes em causa entretanto ja em vigor, se mantenham. ja as licenças foram postas em causa. agora limitar a pesca a residentes? pesca de 5a a domingo?
meus senhores, chamam-se interesses e nao há-de faltar muito para criarem resevas como acontece com as zonas de caça.
quando construirem complexos de luxo na nossa costa alentejana e da costa vicentina, veremos se o ICN se oporá de alguma maneira. os Projectos de Ineteresse Nacional (PIN) sobrepõe-se a tudo, e a privatizaçao da zona bela e quase selvagem do SW alentejana é inevitavel.
nao deixemos que tal aconteça.

sejamos realistas,

Rute Pereira

Sargus disse...

Ola Rute Pereira.

Desde já quero agradecer o comentário e força.

Sim precisamente se não houvesse fundamentação não estaríamos tão indignados com tudo isto, os falsos moralismos que felizmente irão ter reacção destas populações, que para além de não serem ouvidas são prejudicadas com estas aberrações legislativas carregadas de imposições severas e injustas.

Na minha opinião já só falta pedirem para as populações residentes saírem do Parque, abandonarmos isto de uma vez por todas para serem aqui implementados os interesses turisticos e economicos que fala a portaria, vivemos cá, nascemos cá e muitos morrerão cá, para estes senhores isso não é interesse público.

Pois o grande problema reside mesmo ai, decepar os direitos dos residentes para que os Projectos de Ineteresse Nacional (PIN) se subreponham a tudo o que de bom temos por cá, nem que isso vá contra toda esta boa gente que sempre estimou o Parque como ele está. Quais atentados feitos por as explorações de cariz de horto e floricultura, quais preocupações com o que se passa a norte da delimitação da area do Parque, sempre souberam e nada fizeram (ICN).

Agora isto?!?!

Vamos tentar mudar esta situação que lesa tantas pessoas destas belas localidades.

Pedro batalha disse...

Boas Fernando
Já começou.....esperemos que ainda impere o bom senso...

Ernesto Lima disse...

Viva Fernando!

Essa fiscalização cheira a esturro, mesmo à distância!

Eu já não acredito no Pai Natal!

Isso não é fiscalização!

O que isso me parece é: apanhar, para já os incautos que, tendo toda a vida, pescado/capturado da mesma forma e que talvez ainda nem se tenham apercebido bem da lei, cravando-lhes de imediato o selo! Isto se os autos forem de facto levantados...

Se assim for... Não é fiscalização! É perseguição ao melhor estilo de instituições antigas (serão?), das quais nem quero falar!

Também será um meio de todos avisar que quem manda... Manda, e não tendo efectivos suficientes para controlar tudo, jogam um jogo cujo objectivo é unicamente criar a insegurança em todos nós sobre se estaremos ou não completamente dentro da lei. O que, com tanto pormenor, material, mau Português e papelada, se torna para eles extremamente fácil!

Espero estar enganado, pois a revolta que isto provoca, verificando-se ser real, traz a cima o pior de cada um de nós!

Espero estar enganado!

Ernesto

Sargus disse...

Boas Pedro.

Já começou a caça à multa, e infelizmente pessoas menos formadas sobre a questão ou com absoluto desconhecimento vão sendo apanhada nestas malhas de perseguição.

Não existe bom senso, muito menos respeito pelas pessoas, a lei quando nasce é para todos...

Não antevejo boa coisa.

infelizmente.

Sargus disse...

Viva caro amigo Ernesto!

Bem sei que não é fiscalização, é perseguição ou caça à multa.

É a tentativa absoluta de controlo de terras e costumes que são de todos, agora creio que isto não vai ser uma questão fácil, penso que os Alentejanos e Algarvios com o apoio dos pescadores e pessoas sensíveis a esta questão sejamos bem mais fortes que os Mouros foram aquando da expulsão do Afonso, nós não fugimos, ficamos cá e lutamos.

diria mais isto é uma forma de Repressão.

"pois a revolta que isto provoca, verificando-se ser real, traz a cima o pior de cada um de nós!"

Eu não estaria tão enganado a esse ponto, pelo andar da carruagem...

Abraço caro amigo.