Sargos em pouca água


Uma deslocação mais a sul, com pouco mar, num local onde já não pescava ia fazer uns dois anos, aparentemente boas condições à chegada do pesqueiro, a maré que já trazia umas duas horas de enchente ainda não era a ideal para começar a pescar, por isso com calma deu para observar alguns pescadores que lançavam artificiais para a ondulação na zona de praia.

Com mais claridade começava a observar alguns robalos de bom porte que "surfavam" as ondas, mas ainda assim bastante afastados, até que um foi ferrado por um elemento que estava a praticar spinning, a adrenalina de sempre na altura final, muito motivada pela ondulação que se fazia sentir naquele local com misto de pedra e areia, mas foi recuperado com sucesso, à distancia deveria ser exemplar para uns quatro quilos.

Mar parado e alguns sargos


Uma das poucas pescarias realizadas este ano, efectuada com sardinha e camarão, com chumbadinha mas usando muito pouco lastro numa zona onde o substrato rochoso esta coberto com mexilhão juvenil, local propicio para se efectuar "esperas" aos sargos, uma vez que os mesmos nesta altura e com pouca ondulação atrevem-se a vir mariscar mexilhão, com pouca profundidade em cima destes bancos de mexilhão à maré cheia.

Poucos foram os sargos que se soltaram e a grande maioria das capturas engoliram literalmente o anzol até ao bucho. A engodagem foi pouca e intervalada, não fossem as bogas aparecerem, situação que não se verificou, muito motivado também pela escolha do local, de difícil acesso e muito pouco pescado.

Decreto-Lei n.º 93/2018 - Aprova o novo Regime Jurídico da Náutica de Recreio




Decreto-Lei n.º 93/2018 de 13 de Novembro

O presente decreto-lei tem por objecto a criação de um novo regime jurídico aplicável à náutica de recreio, medida que integra a aposta do XXI Governo Constitucional na concretização do mar como um desígnio nacional, assente numa estratégia a médio e longo prazo sustentada na potencialização das actividades económicas do mar e na criação de oportunidades que aumentem a competitividade e o investimento nesta actividade.

O crescente desenvolvimento das actividades de náutica de recreio, o aumento do número de embarcações e de navegadores de recreio e, bem assim, os desenvolvimentos regulamentares e tecnológicos verificados na área da tramitação electrónica de procedimentos reclamam a alteração do actual quadro jurídico da actividade da náutica de recreio, previsto no Regulamento da Náutica de Recreio, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 124/2004, de 25 de maio.

6º Sentido


A despedida


Muito motivado pelo estado do mar, que durante toda a semana não passou de ondulação de metro, a nossa espécie alvo, não apareceu mais junto à costa, tendo as tentativas resultado na captura de alguns sargos a alguns elementos do grupo. No final da semana, já em fase de despedida foram efectuadas algumas capturas após o almoço, fase em que nos abastecemos com alguma energia extra (chipirones, pulpo, tortilla e estrella galicia), sendo que após consulta das previsões o mar estaria a subir neste período, sendo que foi verificado na parte da manha alguma força de fundo. Seguimos então em três grupos, um para casa, outro para norte e outro para sul. Sul era coincidente com uma zona próxima ao local onde três dias antes tinha efectuado a captura dos sargos de bom porte na caça sub, e nesse mesmo dia tinha observado o local afastado ao qual apelidei como o "pesqueiro das cabras", pela acessibilidade que o mesmo proporcionava, e lá fomos nós.

Caça submarina na Galiza (parte II)


Como o estado do mar se mantinha inalterado, ou seja praticamente parado e com grande visibilidade, resolvi efectuar mais uma investida de caça submarina, desta vez numa zona de difícil acesso. Após a descida e entrada na agua, numa zona com aproximadamente quinze metros de fundo, resolvo encostar mais às paredes da falésia, pois em algumas zonas existiam rochas fragmentadas que provavelmente albergariam alguns sargos "entocados", dadas as condições de mar.

Caça submarina na Galiza


No decorrer desta aventura por mares da Galiza, tivemos alguns dias de mar parado, pelo que a experiência de mergulhar nestas aguas foi realizada.

Tendo sido estabelecido o circuito a efectuar, na zona de entrada fui brindado com agua turva, com bastante matéria orgânica em suspensão (algas laminarias decompostas), numa zona de aproximadamente cem metros junto à costa, passando esta mancha a agua ficou clara com bastante visibilidade, começaram a ser avistados os primeiros exemplares, tainhas e pequenos burros, mas nada de sargos.

Sorento na Galiza


Mais uma fishing trip 2017, em conjunto com o grupo do costume, novas paragens, gastronomia à qual já nos habituamos, e que saudades do Pulpo à la Feria, Chipirones, Tortilha e Estrella Galicia...

Resolvemos mudar de zona, algo novo, pesqueiros temos sempre, uns com melhor acessibilidade que outros, mas faz parte da conjuntura, sendo que temos gosto e pessoal para todo o tipo de pesqueiros, o que é preciso é haver peixe e vontade de os procurar.

Tivemos pouco mar para as nossas expectativas, sendo que na primeira investida tenham saído estes de uma zona que proporcionava boas condições para a chumbadinha com pouca água.

Quanto ao conjunto: cana Sorento Power 600 e carreto Potenza 450 nada a assinalar, ou seja, um bom conjunto para bóia e chumbadinha, neste caso foram capturados bons exemplares, sendo que a prestação deste equipamento é notável, tanto na ferragem como na recuperação dos exemplares. 


Sorento e Potenza: Inicio dos trabalhos


A expectativa era crescente, pois já alguns dias detinha este conjunto sem que tivesse oportunidade e disponibilidade ao fim de semana para iniciar uma boa jornada na pesca ao sargo.

Testar uma cana em "seco", abrir os elementos e avaliar os pormenores do seu "arco", se a sua ação é de ponteira, parabólica, semi parabólica ou progressiva, não é a mesma coisa que sentir a cana no seu trabalho efectivo para a qual foi adquirida no mar, e esta vara concebida pela Banax tem algo de especial. A montagem da mesma com o seu fiel Potenza 450, creio ser um bom conjunto que me irá proporcionar boas capturas, e acredito que a Sorento me irá surpreender de futuro pela sua performance que ainda me é muito "desconhecida".

Regresso à caça sub


Regresso à caça submarina, ao fim de alguns meses de paragem. Umas paragens pelos locais do costume proporcionaram a observação de muitos cardumes de sargos de médio e pequeno porte, pouco peixe "entocado" e muito em cima de lages submersas.

Deu para trabalhar a "caixa", apesar de estar muito tempo parado a época de canoagem tem dado resultados no meio aquático.

Nova dupla: Sorento Power - Potenza 450

A primeira "vitima" do conjunto
Sorento Power 600: Cana potente com ação semi parabólica progressiva, dispõe de um bom poder de ferragem e trabalho com o exemplar ferrado, o que podemos apelidar de uma "vara matadora" pois amortece significativamente as primeiras investidas poderosas de um exemplar. Fiável para quando necessitamos elevar peixes mais pesados, sendo uma boa aposta para a bóia e chumbadinha.

Vem equipada com passadores e porta carretos Fuji, sendo que a versão de seis metros é composta por 6 elementos construídos em carbono cruzado. O seu peso é de 460 gramas, com uma acção compreendida entre as 5 e as 130 gramas, segundo a Vega, é dotada de um poder de elevação até 6 kg. 

Polícia Marítima de Lagos promove operação “Pesca lúdica segura”


O Comando-local da Polícia Marítima de Lagos está a desenvolver uma campanha de sensibilização e alerta para os perigos da pesca lúdica em falésias, centrada principalmente na Costa Vicentina.

​Esta campanha tem como objectivos alertar para os perigos presentes desta actividade e sensibilizar os pescadores para a adopção de algumas medidas de segurança que podem contribuir para minimizar o risco de acidentes.