Câmara de Aljezur defende revisão imediata do Regulamento do Plano de Ordenamento do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina

Câmara de Aljezur defende revisão imediata do Regulamento do Plano de Ordenamento do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina (Fonte: CM Aljezur)

(Só depois o Programa Especial deve ser transposto para os PDM´S das câmaras)

Atendendo a que já decorreram mais de três anos sobre a vigência do mesmo; 

Atendendo ao facto da ação administrativa especial para declaração da ilegalidade do Plano atrás citado, interposta pelos Municípios de Aljezur, Odemira e Vila do Bispo, junto do Supremo Tribunal Administrativo, não ter tido acolhimento;

Atendendo ao facto do Regulamento do Plano de Ordenamento do PNSACV, à data, não ter acolhido muitas das retificações, correções, chamadas de atenção e propostas, transmitidas pelos Municípios, em diversos domínios, não obstante a nossa insistência;

Porque o período de tempo que mediou a entrega do Guião Metodológico e das Normas Identificadas pela CCDR, ter sido estabelecido em menos de dois anos, sobre a sua transposição obrigatória para os respetivos PDM´S das autarquias, e não tendo havido oportunidade de as discutir;

Apelo ás populações de Vila do Bispo, Aljezur Odemira e Sines


Plano de Ordenamento e Áreas Classificadas no Parque Natural da Costa Vicentina e Sudoeste Alentejano

Nós todos somos os únicos sacrificados nas leis que foram feitas por alguns. Não fomos ouvidos nem tivemos a possibilidade de escolha. Nós temos de nos revoltar com o que está a ser feito em torno do Parque.

Nós temos de arranjar um grupo de pessoas interessadas para repor toda esta situação errada. Para isso estamos a organizar uma lista de interessados para que o nosso parecer possa também valer na rectificação da lei. Vamos nos juntar e fazer que o nosso parecer seja válido nas assembleias.

Temos de ser nós a nos defender, para isso contamos com a vossa ajuda do povo a habitar em concelhos como Aljezur, Vila do Bispo, Odemira e Sines. Juntos seremos um elo para nos escutarem e repararem o mal-estar que nos têm feito.

Tudo tem haver com leis feitas ás escondidas e com condicionantes prejudiciais para os proprietários como para toda a população. Vamos conseguir. Juntos vamos reclamar a injustiça mesquinha que existe nas leis.

Queda mortal de pescador lúdico na Foz do Arelho


Um pescador lúdico, de 44 anos de idade e residente na zona da Marinha Grande, terá caído ontem, dia 4 de junho, duma altura de cerca de 4/5 metros de altura, na Quebrada das Murteiras, a norte da Foz do Arelho, quando regressava, com o seu irmão, da pesca na orla marítima. O irmão, de 49 anos, ainda tentou ajudar, mas sem sucesso, sofrendo ainda algumas escoriações.

Oceans Business Week - Lisboa 2, 3 e 4 Junho


A Fundação AIP e o Ministério do Mar vão organizar o OceansBusiness Week, um grande encontro de negócios da economia do mar.

Este será um espaço e um momento único onde estarão patentes empresas e entidades que relevam a importância do mar e dos oceanos no equilíbrio dos ecossistemas globais, na preservação e valorização dos recursos marinhos, na gestão das plataformas continentais e na conectividade internacional. O Ocean Business Week decorre paralelamente ao Oceans Meeting.

Encontrado corpo de pescador desaparecido em Vila Nova de Milfontes



Foi encontrado ontem, dia 29 de maio, o corpo do pescador lúdico desaparecido no mar desde a tarde do passado dia 24 de maio, na zona de Vila Nova de Milfontes. O Capitão do Porto e Comandante-local da Polícia Marítima de Sines coordenou as operações de busca durante os vários dias.

Relembra-se que com o alerta do desaparecimento ao Comando-local da Polícia Marítima de Sines, foram de imediato empenhados vários meios da Autoridade Marítima Nacional. Durante os quase 6 dias de buscas, esteve empenhado um dispositivo, por mar, de uma embarcação da Estação Salva-Vidas do ISN de Sines e uma lancha da Polícia Marítima e, por terra, uma equipa da Capitania do Porto e outra da Polícia Marítima.

Veículos todo-o-terreno abrem ferida atrás de ferida na costa alentejana


A falta de meios de vigilância permite a progressiva destruição da biodiversidade provocada por veículos todo-o-terreno nas zonas dunares e onde existem charcos temporários.

Aquele que é hoje o Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina (PNSACV) começou por se chamar área de paisagem protegida, um título que hoje não passa de uma memória estraçalhada pelas feridas entretanto infligidas neste litoral. As dunas, uma das suas imagens de marca, são devassadas, abrindo-se no seu flanco múltiplos trilhos que as põem em risco. Como em risco estão os charcos temporários, abrigo de várias espécies ameaçadas, e que estão indefesos perante as investidas dos visistantes.

Pescador morre após queda de ravina


Tragédia na praia dos Machados, em Odemira

Um homem de 49 anos morreu este sábado após uma queda numa falésia, no concelho de Odemira, Beja, tendo ainda sido resgatado por um helicóptero para ser assistido, disseram à agência Lusa fontes dos bombeiros e da GNR. Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Beja indicou que o acidente, com alerta às 10h11, ocorreu na praia do Machado, em São Teotónio. 

Segundo a mesma fonte, foi necessário mobilizar um helicóptero da Força Aérea para resgatar o homem, que residia em Brejão, no concelho de Odemira, que caiu numa zona de "difícil acesso", tendo ainda sido assistido no local onde foi confirmado o óbito. O alerta para a ocorrência foi dado por uma cidadã francesa, segundo a fonte da GNR. 

Foram mobilizados para o local, de acordo com a fonte do CDOS, a Polícia Marítima, veículos e operacionais dos Bombeiros Voluntários de Odemira, GNR, um helicóptero e psicólogos da Protecção Civil de Odemira para prestarem apoio à família da vítima.

Fonte: cm


Jornal da Pesca online nº1


No seguimento das edições do Jornal da Pesca sobre modalidades, técnicas, relatos, experiências, testes a materiais e apresentações de novos produtos, agora, além das edições em papel disponíveis nas lojas, os aficionados da pesca lúdica e desportiva também podem encontrar as mais recentes novidades da pesca em plataforma digital (computadores, tablets e telemóveis).

O Jornal da Pesca lançou uma nova plataforma de informação, com conteúdos exclusivos e apenas no formato digital, que terá algumas edições ao longo do ano.

Neste primeiro número, o grande destaque é a apresentação das novas soluções Vega para spinning, com a cana Prime Spin e o carreto Protek 4, para pesca à bóia, com as canas Solaris e Bullfight Evolution e, principalmente, para surf casting — com as canas Insignia, Imperium e Traffic Surf a chamar atenções, ao lado dos carretos Hurricane 75, Cameron 75 e Insignia 60.

Este novo formato esta disponível em: Jornal da pesca digital

Na gulosice do mexilhão

Mais uma jornada com a Forza Special
Mais uma jornada de pesca ao sargo, num outro local diferente das ultimas jornadas, onde teoricamente estaria frequentado por os nossos amigos listados, pois eles andam em força em cima dos bancos de mexilhão, sendo notório o aumento considerável de peso nas ultimas semanas, devido ao factor reprodução/pós reprodução.

Mais uma boa prestação da Forza Special, à qual, cada vez estou mais rendido, pela sua sensibilidade e capacidade de ferragem e recuperação dos exemplares. As técnicas foram as do costume, tendo o isco, para não variar, sido a sardinha para engodo e o camarão congelado para isca.

6º Sentido

Areal Tonel
Areal Alvoreão

Polícia Marítima fiscaliza apanha de perceves na Costa Vicentina


O Comando-local da Polícia Marítima (PM) de Lagos, no âmbito de uma acção de fiscalização da orla costeira, dirigida à actividade de pesca da apanha de perceves, apreendeu hoje 32 Kg de perceves, no interior do Parque natural da Costa Vicentina.

A PM terá acompanhado os movimentos de alguns apanhadores que se encontravam nas arribas da costa. Os mesmos, após aperceberem-se da aproximação dos agentes, puseram-se em fuga, abandonando diversos sacos contendo o marisco apanhado. No decurso das diligências no local, foram identificados catorze pescadores lúdicos que, presumivelmente, seriam os proprietários dos sacos abandonados. Após pesagem, os perceves foram devolvidos ao seu habitat natural.

Primeira experiência: Forza Special & Magnesys 50


Com material novo para colocar à prova, nada melhor que o ir experimentar em dois locais quentes de sargos, ambos com proximidade da linha de água, e se as primeiras sensações sem acção de pesca foram boas, com acção efectiva de pesca superaram as expectativas. Deu  perfeitamente para ficar com a noção que ambos os equipamentos, são de qualidade, com boas características e óptimos para as técnicas da chumbadinha e bóia. Apesar do tamanho do peixe não ter sido sido muito grande para testar a acção parabólica da cana fiquei surpreendido com  a performance de ferragem da mesma. Deu perfeitamente para ter a noção que tinha em mãos uma boa vara de confiança, a cana Forza Special, de seis metros, leve e robusta, e um “marido” à altura dela, o carreto Magnesys 50.

Forza Special 600

Nova máquina de pesca a Srª. Forza Special 600

Modelo: Vega 6665 Forza Special
Comprimento: 6 metros
Peso: 430 gramas
Material: Nano carbono de alto módulo
Secções: 6 secções
Passadores: Fuji 12 passadores (11 mono pata)
Porta carretos: Fuji Aço inoxidável LS-7
Acção: 20 – 100 gramas 

Magnesys 50

Nova máquina de recuperação o Sr. Magnesys 50 
Modelo: Magnesys 50
Drag power: 7 kg
Corpo: Fabricado em Magnésio
Rátio: 5.5:1
Peso: 380 gramas
Material: Magnésio e Carbono de alto módulo
Rolamentos: 10 rolamentos cerâmicos
Eixo principal: Titânio
2 Bobines em alumínio: 0.35 mm/200 metros e 0.20 mm/140 metros
Embraiagem: Frontal
Sistema: Anti retrocesso
Rotor: Calibrado