Segurança numa jornada de pesca


Creio que se deve dar um especial relevo à segurança pois é um ponto que não se deve menosprezar, pois nenhuma vida vale uma aventura ou uns Kg de peixe.

Verifiquem o estado do mar, assegurem-se que o mar não está falso, observem-no por uns bons minutos, vejam os "setes" da ondulação principalmente na altura do Inverno em que o mar está incerto e em poucas horas altera o seu estado.

Tenham atenção ao calçado que usam, pois muitas vezes observo pescadores com botas de borracha calçadas, se por acaso caírem à água é muito difícil de as tirarem e depois de encherem de água ficam pesadas e criam vácuo. A roupa deve ser justa ao corpo mas deverá nos proporcionar uma boa mobilidade.



As descidas em falésias e locais que não conhecemos são sempre de risco elevado, pois nunca se sabe onde esta uma pedra solta, limos, barros, etc. Podemos escorregar, tropeçar, tenho uma técnica nas subidas e descidas é inclinar o corpo sempre para terra, se tivermos algum azar o centro de gravidade fica mais próximo de nos agarrarmos a algo e dá nos uma grande segurança.

Poderemos sempre utilizar para nossa segurança, a utilização de cordas, que nos permitem com alguma segurança extra, a descida para alguns pesqueiros de maior grau de acessibilidade, mas atenção que deveremos não facilitar mesmo assim, afixação da corda bem como o especial cuidado a ter com a mesma para não roçar muito na falésia pois poderá causar a queda de pedras.


Deveremos ter em atenção pesqueiros junto a arribas de pedra ou falésias e ter o cuidado de escolhermos locais que em caso de queda de pedras não nos apanhem desprevenidos, muito cuidado com as gaivotas pois já por muitas vezes observei as mesmas ao poisarem nas falésias onde existe pedras soltas as mesmas caem simplesmente porque as gaivotas lá poisaram ou levantaram voo. (pode parecer brincadeira mas, pequenas pedras que caem de uma altura de 20, 30 ou 40 metros vazem grandes danos).

O meu pai, quando me iniciei na pesca com 14 anos sempre me dizia que nunca se deve virar as costas ao mar, tem a sua lógica, principalmente se o mar estiver mexido ou não conhecermos o local. Outra das coisas que se deve sempre tentar fazer em descidas ou locais perigosos é libertar as duas mãos de quaisquer objectos (canas, baldes, sacos, etc), hoje em dia no mercado existem muitos bons sacos para transporte de material e estanques (canas, carretos, baldes, sacos de rede e iscos) dá para ir tudo lá dentro e como vão ás costas, proporcionam-nos bastantes mais vantagens de acessibilidade e segurança.

Em dias de trovoadas devíamos nem ir à pesca, mas se formos devemos assim que começarem a ocorrer, mesmo a uma boa distancia fechar as canas em especial de carbono e fibra, pois são altamente condutoras, e abandonar o local ou abrigarem se um pouco afastados das mesmas. Não se esqueçam de fechar as canas, mesmo abertas e deitadas no chão podem trazer algum dissabor.

Pesca de noite devemos ter muitíssimo mais cuidado e levarmos um jogo de pilhas suplentes, uma boa lente de testa e mais uma para suplente. Por ultimo penso que a pesca não é para solitários, embora muitos de nos o façamos muitas vezes é sempre bom levar companhia, uma amigo outro pescador, para alem de não termos de falar com as gaivotas pode sempre ajudar a levar o material (mochileiro), ou em ultimo caso livrar-nos de uma situação de apuros.

O telemóvel também poderá ser uma ajuda preciosa quando estivermos em alguma situação de apuros, não é um meio de salvamento, mas dá sempre para informarmos alguém da localização onde nos encontramos ou, em ultimo caso servirá para pedir auxilio aos meios de protecção civil.

3 comentários:

A. Ferreira disse...

Amigo Fernando, parabéns pelo espaço que aqui criaste.
Vai ser um prazer vir ler os teus escritos e ver as fotos das tuas pescarias.
Um grande abraço,

Vitor disse...

Caro Fernando,

Muitos parabéns pelo teu blog.
Que publiques aqui as tuas excelentes jornadas de pesca para nos animares.

Abraços

Vitor Bragança

PEDRO disse...

Mto bom o teu blog !!!!!
Parabens continua ABRAÇO