CELEBRE OS 11 ANOS DA REVISTA ‘MUNDO DA PESCA’ E GANHE UM PRÉMIO!



O ‘Mundo da Pesca’ celebra em Fevereiro próximo o seu 11º aniversário, para comemorar esta data, o Mundo da Pesca vai realizar um passatempo que durará 11 dias, com um prémio diário.

Como participar?

Todos os amigos da revista Mundo da Peca no Facebook deverão escrever uma frase que inclua as palavras ‘Mundo da Pesca’, ‘11º aniversário’ e ‘Maria’, e publicá-la como comentário a esta imagem. (Atenção: apenas são válidas as frases publicadas como comentário, e não as publicadas aleatoriamente no nosso Mural.)

Prémios

Haverá apenas um vencedor por dia, que ganhará uma amostra Maria Angel Kiss 140, provavelmente a amostra responsável por mais robalos capturados nas águas portuguesas.
Os vencedores serão contactados pela redacção via Facebook, através de uma mensagem privada.

Por isso já sabe! Puxe pela imaginação e habilite-se a ganhar este valioso prémio! Os 11 vencedores serão revelados na edição de Fevereiro da revista ‘Mundo da Pesca’, nas bancas a 20 de Janeiro. Este passatempo conta com o apoio da Nautipeniche e das amostras Maria.

JÁ SÓ FALTAM 10 DIAS PARA TERMINAR!



ANPLED- ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESCADORES LÚDICOS E DESPORTIVOS


ANPLED- ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESCADORES LÚDICOS E DESPORTIVOS

COMUNICADO

Com a alteração do elenco governamental e a aproximação dos aniversários da vigência da legislação que regulamenta a actividade da pesca lúdica, a ANPLED – Associação Nacional de Pescadores Lúdicos e Desportivos, ciente de que a mesma continua a carecer de aperfeiçoamento, solicitou a Sua Exª a Senhora Ministra da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território, a concessão de uma audiência, com a finalidade de apresentar as suas propostas de alteração, dando assim continuidade às acções que tem vindo a desenvolver junto do poder central.

Em resposta a tal solicitação, foi a Anpled notificada pelo Senhor Chefe do Gabinete do Senhor Secretário de Estado do Mar, Eng.º Miguel Sequeira, que a audiência solicitada, encontra-se agendada para o próximo dia 25 de Janeiro de 2012, pelas 15H00.

A Anpled solicitou esta audiência, confiante que as suas propostas representam os anseios dos praticantes da actividade e que as mesmas contribuem para aperfeiçoar/rectificar, a legislação herdada do passado recente.

A Direcção

Bruxelas dá dois meses a Portugal para punir crimes ambientais

A Comissão Europeia deu esta quinta-feira um prazo de dois meses a Portugal para transpor para a legislação nacional as novas regras europeias em matéria de punição criminal de poluição marítima e outras ofensas ambientais. 

Num comunicado enviado à Imprensa, Bruxelas aponta que a directiva (lei comunitária) sobre medidas legislativas criminais para protecção do ambiente deveria ter sido transposta para as legislações nacionais de cada Estado-membro da União Europeia (UE) até 26 de Dezembro de 2010, mas 10 países não o fizeram.

Além de Portugal, também Chipre, República Checa, Alemanha, Grécia, Itália, Lituânia, Malta, Roménia e Eslovénia receberam então esta advertência do executivo comunitário, que ameaça recorrer para o Tribunal de Justiça da UE se os Estados-membros incumpridores não responderem favoravelmente no prazo de dois meses.

Fonte: JN

The International Underwater Photograph Grand Prix



Fonte: worldshootout.org

Nuno Sá vence maior concurso mundial de fotografia subaquática

Fotografia do tubarão azul tirada pelo fotógrafo Nuno Sá ao largo da ilha do Faial, nos Açores                                  
Uma fotografia de um tubarão azul tirada pelo fotógrafo Nuno Sá ao largo da ilha do Faial, nos Açores, venceu a principal categoria do maior concurso mundial de fotografia subaquática, disse hoje o vencedor à agência Lusa.

O Epson World Shootout, um concurso com características únicas que decorre em todo o mundo, atribuiu o primeiro prémio da categoria “Grande Angular” à fotografia de Nuno Sá, que mostra um tubarão azul junto ao banco submarino "Condor", no mar dos Açores.

Pescaria Solidária seguida de Jantar de Natal



Neste momento de grandes dificuldades o Clube Pescasub não fica parado.

O Clube Pescasub organiza este ano uma saída de pesca com o objectivo de capturar pescado para doação a instituição "Externato Zazzo" a fim de proporcionar um melhor natal a crianças desfavorecidas. Este evento é seguido do jantar de Natal do clube.

Instituição:

Externato Zazzo
Rede Solidária - uma rede ONGs ao serviço de pessoas com deficiência e pessoas idosas

Outubro


Peso: 1,000 Kg/1,400 kg
Fundo: Misto
Maré: Baixa-mar 
Multifilamento: Fireline Cristal 0,17 mm
Cana: Hiro Bullet Lure
Carreto: Tica Splendor
Artificial: Daiwa Saltiga LS 140

MARGov: Co-Gestão - Experiências de Terreno




MarGov - Governância colaborativa de áreas marinhas protegidas

No próximo dia 12 de Outubro, pelas 17 horas, no Auditório Conde Ferreira, em Sesimbra irá decorrer a sessão MARGov: Co-Gestão - Experiências de Terreno, onde estarão presentes Gestores e Pescadores da Área Marinha Protegida de Lira e Muros da Galiza/Espanha.

Esta sessão terá como principais objectivos:

- A mobilização
- O envolvimento
- A co-responsabilização

Dos vários intervenientes e interessados na co-gestão dos parques marinhos

Contactos:
913606891 (Máriliza Coelho)
margov.mar@gmail.com

Fonte: MarGov

A Baila (Dicentrarchus punctatus) da sorte




A pesca com artificiais tem destas coisas, a história é como outra qualquer no decorrer das idas ao mar, embora tenha tido outro final desta vez, poderia ter-lhe chamado do 5 ao 50 (distancias percorridas, tempos de capturas totais, peso do maior exemplar), resolvi chamar-lhe a Baila da sorte. 

Foi um acompanhar da descida da maré, isto é aproximadamente quatro horas de vazante, com condições propicias a se registarem movimentações deste tipo de predadores, mas nada durante estas quatro horas, nem eu nem o Miguel sentimos nada. Foram vários artificiais que experimentei sem êxito.


O sol já tocava na linha do horizonte e seria nesta fase que daria um exemplar para qualquer um de nós, mas também na foi desta, e já sem sol à vista, resolvi avançar uns 50 metros na direcção do mar, onde teria mais uns metros para lançar em comparação com o local onde estava.

Chegando ao local, faço cerca de quatro ou cinco lançamentos com a Saltiga, uma vez que o local se apresentava com pouca água e cheio de pedra, deparo-me com um ataque, e ferragem de uma baila, apesar de ter já um tamanho razoável foi devolvida à água.

4.1 Setembro



Após algum tempo afastado das jornadas de Spinning, o regresso não podia ter corrido de melhor forma. A zona a bater era extensa e diversificada, apresentava condições propicias para que os exemplares estivessem no local, embora tenha sido em vão as primeiras investidas sem que se sentisse um toque.

Algumas dezenas de lançamentos depois, heis que surgiram alguns exemplares mas pequenos, ou melhor muito pequenos. O dia apresentou-se bastante nublado até que de repente o sol apareceu já alto com uma grande intensidade, dada a minha posição distante da linha de costa, estava cercado por água, o local onde estava apresentava uma oxigenação e ondulação propicia, mas daquele local nada, nem um toque.

Spinning


A técnica do Spinning consiste em enganar um predador ou leva-lo a crer que está perante si uma possível presa, ferida ou debilitada, consoante a forma como animamos o peixe ou isca artificial. 


Desta forma o trabalhar natural (subentenda-se performances do artificial) é de certa forma uma grande mais valia que é potencializada pela correcta forma de animação que cada pescador lhe dá, isto é, uma isca artificial é algo inanimado por si só, e cabe a nós darmos-lhe vida, vida essa que chamará a atenção do predador e o fará atacar de imediato. 

Basicamente são dois pormenores de grande importância a ter em conta no Spinning, haverá mais, a procura dos predadores, os locais onde são mais frequentes, a sua biologia, reprodução, hábitos, etc, mas estes são essenciais, a isca artificial e a sua animação, sem este binómio não haverá capturas. 

Convite para participação no Workshop "Reservas Naturais de Âmbito Local no Litoral"- 30 de Setembro


É com enorme prazer que a Agência Cascais Atlântico convidas a participarem no Workshop "Reservas Naturais de âmbito Local no Litoral" na manhã de dia 30 de Setembro no Centro de Congressos do Estoril.

Este Workshop pretende dar a conhecer três realidades distintas com o mesmo objectivo de Conservação da Natureza: o Parque Marinho Luiz Saldanha, a Reserva Natural local do Estuário do Douro e a actual Zona de Interesse Biofisico das Avencas- Futura Reserva Natural Local.

No final haverá lugar a um debate que pretende levantar algumas questões nomeadamente:

- Como é possível conciliar o desenvolvimento económico e a harmonia social com a Conservação da Natureza?
- Qual o papel da Investigação na criação de Áreas Marinhas Protegidas e na minimização de conflitos dentro das áreas protegidas?
- Qual o papel das Autarquias na Conservação da Natureza no Litoral e Área Marinha (área que se encontra sob várias tutelas do estado)?

As inscrições podem ser efectuadas em www.cascaisatlantico.org ou caso queiram levar alguns alunos de licenciatura ou de mestrados podem ser realizados directamente comigo (para não estarem a introduzir os nomes um a um).

Para mais informações clicar aqui.
Ficamos a aguardar a vossa participação e contributo.

Fonte: APPSA

M. A. M. A. O. T.: Organismos a extinguir/fundir/criar - Parte II

Se esses tiranetes ficarem de fora da futura Dir. Geral tudo bem. É que eles fizeram tudo ao contrário. Devia ter sido apresentada queixa contra Portugal na CE. Veja-se o contraste face ao que consta de um documento da CE a propósito das experiências de outros países:

«Uma abordagem adequada das implicações financeiras e económicas da rede Natura 2000 é uma das condições mais importantes para que esta última seja bem aceite pela população rural, os proprietários rurais e os operadores económicos que utilizam os recursos naturais nas zonas designadas. Essa abordagem é exigida nos termos do artigo 2.° da Directiva Habitats, que determina que as medidas relacionadas com a rede Natura 2000 devem ter em conta as circunstâncias económicas, sociais e culturais. Refira-se também que esta questão deve ser vista à luz do artigo 17.° da Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia (21), que estabelece o princípio da compensação da perda de rendimento. Em 9 de Maio de 2002, a «Declaração de El Teide» (22) confirmou o papel relevante da rede Natura 2000 para a realização dos objectivos da UE em matéria de biodiversidade e reconheceu que a consecução desses objectivos exige recursos orientados.

Min. Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Orden. Território: Organismos a extinguir/fundir/criar

Organismos a extinguir/fundir

Agência Portuguesa do Ambiente
Autoridade Florestal Nacional
Depart. de Prospectiva e Planeamento e Relações Internacionais
Dir.-Ger. das Pescas e Aquicultura
Dir.-Ger. do Ordenamento do Território e Desenvolv. Urbano
Instituto Geográfico Português
Parque Expo, EPE
Controlador Financeiro MAOT
Controlador Financeiro MARDP
Autoridade de Gestão do PROMAR
Centro Int. da Luta contra a Poluição Marítima do Atlântico Norte
Centro para a Prevenção da Poluição
Comissão para as Alterações Climáticas
Programa de Desenvolvimento Rural Nacional
Programa Polis - Prog. Requal. Urbana e Valoriz. Amb. das Cidades
Inspecção-Geral da Agricultura e Pescas
Inspecção-Geral do Ambiente e do Ordenamento do Território
Adm. da Região Hidrográfica do Alentejo
Adm. da Região Hidrográfica do Algarve
Adm. da Região Hidrográfica do Centro
Adm. da Região Hidrográfica do Norte
Adm. da Região Hidrográfica do Tejo
Instituto da Água
Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade
Comité Executivo para as Alterações Climáticas
Sec.-Ger. do Min. Agricultura, Desenv. Rural e Pescas
Sec.-Ger. do Min. do Ambiente e do Ordenamento do Território

Organismos a criar

Agência Portuguesa para o Ambiente, Água e Acção Climática
Direcção-Geral da Conservação da Natureza e Florestas
Direcção-Geral de Ordenamento do Território e Cartogra a
Direcção-Geral de Política do Mar
Direcção-Geral de Recursos Naturais e Serviços Marítimos
Autoridade Única de Gestão dos Programas para a Agricultura
Insp.-Geral da Agric., Pescas, Ambiente e Orden. do Território
Instituto Português do Mar e da Atmosfera
Secretaria-Geral do MAMAOT

Organismos a extinguir/fundir

Fonte: Sol

Plano de Ordenamento do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina em tribunal


Os presidentes das câmaras municipais de Odemira, Aljezur e Vila do Bispo anunciaram esta quarta-feira, 14, que vão requerer judicialmente a "declaração de ilegalidade" do Plano de Ordenamento do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

Segundo um comunicado, subscrito pelos três autarcas, o pedido de "declaração da ilegalidade do plano", aprovado pelo Conselho de Ministros no dia 4 de Fevereiro, dará entrada na próxima segunda-feira, 19, no Supremo Tribunal Administrativo de Lisboa.
  
Os autarcas consideram que "não resta outra alternativa, senão o recurso à via judicial para travar o plano do parque natural", depois da reunião que decorreu na passada segunda-feira, 12, com a ministra da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território, e os secretários de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural e do Ambiente e Ordenamento do Território.

K-7


Robalo capturado pelo Vítor Matos, quando se dedicava a mais uma jornada de pesca ao sargo, foi brindado com este exemplar, já que os sargos teimavam em não aparecer, como é óbvio com um "torpedo" destes na área...


O exemplar tinha 7 kg e foi capturado com sardinha ao engano. Foi uma experiência notável com grandes investidas...


Parabéns primo!

Reportagem: sabe que pode estar a comer veneno?

Veja a reportagem «O Veneno Nosso De Cada Dia», um trabalho do jornalista Rui Araújo, com imagem de Rui Pereira, montagem de Carlos Lopes e grafismo de David Pinto

Entre o dia 24 de Maio e hoje morreram na Europa 47 pessoas, e milhares foram hospitalizadas, por causa da bactéria e-coli.

A segurança alimentar é uma preocupação decididamente actual e legítima. As substâncias químicas invadiram o nosso quotidiano, a nossa alimentação. E estão na origem de muitas doenças nem sempre espectaculares.

A comida que consumimos contém, hoje, inúmeros ingredientes perigosos para a saúde. Fomos ver como é, nas hortas à beira das estradas, na agricultura intensiva, nas mercearias de bairro e nos hipermercados. Mandámos analisar dezenas de alimentos e os resultados são surpreendentes.

Veja a reportagem «O Veneno Nosso De Cada Dia», um trabalho do jornalista Rui Araújo, com imagem de Rui Pereira, montagem de Carlos Lopes e grafismo de David Pinto.

Video: Novo link
Fonte: TVI 24

Semana gastronómica do Molusco


O Município de Odemira vai promover a Semana Gastronómica do Molusco, entre os dias 5 e 11 de Setembro, que irá decorrer em dez restaurantes do concelho.

Provar uma boa cataplana de ameijoas, um arroz de polvo ou umas espetadas de lulas com camarão, são várias as propostas de ementas nos restaurantes “Escondidinho” e “O Tarro” em Odemira, “Jaime” e “Tasca do Bernardo” em Boavista dos Pinheiros, “Rocamar” no Cavaleiro, “Mar e Sol” em Vila Nova de Milfontes, “O Camponês” em Malavado, “Cervejaria o I”, Café Restaurante “Rita” e Restaurante “o Sacas” em Zambujeira do Mar.

Com esta iniciativa, a autarquia pretende incentivar a utilização gastronómica dos moluscos capturados na região, produtos com enormes potencialidades. Com a realização de semanas gastronómicas temáticas, o município visa promover e valorizar os recursos endógenos do concelho.

Fonte: CM Odemira

22 de Agosto


Em equipa que se ganha não se mexe...

O regresso ao local, acompanhado pelo amigo Paulo Cabrita, onde aconteceu mais do mesmo, os iscos, a técnica  as capturas e os sargalhões continuaram lá...

Muitos a partirem, pois o estado do mar não permitia grande mobilidade, e os peixes ferrados ao mínimo descuido partiam e outros soltavam-se pois a maioria dos capturados vinham presos pelo beiço.

Sardinha caiu pouca na água mas deu para colocar alguns bons exemplares num determinado local onde tenho realizado boas capturas, e assim foi...


19 de Agosto


Jornada na companhia do Paulo Cabrita e Pedro Cortes, as técnicas utilizadas foram as habituais assim como as iscas.

Houve capturas de tamanhos diversos para todos os gostos, apesar de apenas termos pescado no vazante, com excepção do Paulo Cabrita que aguardou mais um pouco e fez "uma hora à Benfica" onde realizou capturas de autênticos "posta grossa".

OBS. Nesta fase do ano os sargos de areia estão melhores e mais gordos, em comparação com os seus companheiros da pedra, e em apenas uma semana notou-se uma clara aproximação em termos de massa gorda dos negros da pedra.




18 de Agosto



Um dia de pesca na companhia do Paulo Cabrita.

Foi uma jornada onde a técnica que utilizada foi o engano (Chumbadinha "light").

Basicamente as iscas andaram em torno do habitual camarão e sardinha, apesar de se ter utilizado muito pouca sardinha para engodo, curiosamente houve tempo para utilizar o camarão como isca até determinada altura da maré e a partir dessa fase a sardinha deu lugar as maiores capturas... 

Ocorreram poucas capturas pois os exemplares capturados eram em media de 500 gramas para cima, alguns dos quais acima do 1,5 kg como foi o caso de alguns exemplares capturados por nos.

Arribas: Permanecer em zona de perigo pode constituir "crime de desobediência"


O incumprimento de uma ordem para abandonar uma zona de perigo de queda de arribas “pode constituir um crime de desobediência”, defendeu o provedor de Justiça, numa carta enviada à ministra do Ambiente e do Ordenamento do Território.

Na carta, enviada a propósito do acidente que em 2009 matou cinco pessoas na praia Maria Luísa, em Albufeira, no Algarve, Alfredo José de Sousa traçou algumas orientações no sentido de evitar acidentes.

Assim, o provedor diz que deve ser ordenada a imediata retirada ou dispersão dos menores em “zona de risco, interdita ou perigosa, independentemente de estarem acompanhados por adultos”.

Segundo Alfredo José de Sousa, “em caso de incumprimento” os pais ou encarregados de educação, “depois de identificados”, devem ser alvos de participação à “Segurança Social ou (…) à Comissão de Protecção de Menores”.

O provedor admite que, caso estas sugestões sejam aceites, os agentes das administrações das regiões hidrográficas devem ter “um rigor acrescido no exercício dos poderes de fiscalização”.

Cerca de um ano depois do acidente na praia Maria Luísa foi publicado um Decreto-Lei que prevê coimas, entre os 200 e os 750 euros, no caso de pessoas singulares, e entre os 1.000 e os 2.000 euros, no caso de pessoas coletivas, para quem remova, desloque, danifique ou destrua as estruturas de proteção ou de sinalização existentes.

180 mares depois...


Hoje após ter combinado uma caça submarina com o Pedro Cortes resolvemos deixar para outro dia e ao final do dia lá fomos lançar uns artificiais ás ondas, alguns lançamentos depois, ferrei este único exemplar no meio da descontinuidade da ondulação do final do dia, valeu a experiência e o regresso ás capturas no spinning.

A artificial foi a Macua 160 da West Lab da Barros.

15 de Agosto


Foi o regresso ás jornadas, um tanto ou quanto complicado pois houve uma baixa de peso, pois o Paulo não nos pode acompanhar por motivos de força maior, eh, eh, eh...

Felizmente outro companheiro Nuno juntou-se e formamos uma dupla na conquista de uma pedra ilhada que estava aparentemente com condições que previam uma boa jornada.

Substrato rochoso entre mares com marisco, limo, mexilhão, preceves e cracas, um resort de luxo na zona para a espécie alvo, o sargo.

Numa primeira analise que funcionou em pleno, visto ser a primeira vez que pesquei no local, concluí que toda a frente é óptima para efectuar capturas e que dependente do estado do mar se pode conjugar a pesca da chumbadinha, tento e bóia naquele excelente pesqueiro, que dada a sua localização funciona como uma estação de abastecimento alimentar para variadíssimas espécies. 

Assim que a maré iniciou o enchente eu iniciei a jornada com boas capturas num palmo de água, pois o importante é fazer com que os sargos venham comer onde queremos e não onde eles estão habituados a ir...

22 de Maio de 2011


Estava quase a fazer três meses de costas viradas ao mar e à pesca, esta tinha sido o resultado da ultima jornada, precisamente no dia 22 de Maio.

Foi uma jornada onde as habituais técnicas que utilizo Bóia e Chumbadinha "light" deram os seus frutos, apesar de nesse dia o mar se apresentar em transição de subida da amplitude de vaga, vento incomodativo de noroeste e de meia maré para a baixa mar. Este trio não invalidou que não se realiza-se uma jornada com boas capturas, embora tenham sido libertados vários sargos de tamanho legal mas que tiveram mais uma chance na sua vida.

O engodo e iscas foram as habituais nestas andanças, sardinha congelada que serviu para efectuar algumas iscagens e engodagem manual, o camarão congelado efectuou 70 a 80% das capturas, embora as iscadas de sardinha tenham resultado na captura dos maiores exemplares.

FPAS - Campeonato Nacional Individual de Pesca Submarina de Elite


INAG admite antecipar intervenção na praia de S. Bernardino


O Instituto da Água admite antecipar a consolidação da praia de S. Bernardino, onde hoje uma derrocada de pedras feriu seis pessoas, se esse for o resultado da avaliação técnica que vai ser efetuada, disse hoje o presidente do INAG.
"Vai ser feita uma avaliação técnica que irá dizer se vale a pena antecipar  a intervenção prevista para esta arriba", afirmou o presidente do INAG,  Orlando Borges, durante uma visita à praia de S. Bernardino, onde uma derrocada  de pedras provocou ferimentos a seis pessoas. 
Orlando Borges confirmou que a consolidação da arriba de S. Bernardino  tem execução prevista para 2012, no âmbito do plano de acção 2007/2013,  que prevê intervenções em mais de uma centena de praias do país.  

"São cerca de 18 milhões de euros que serão investidos para garantir  a segurança de centenas de arribas onde há risco de queda de pedras", adiantou  o presidente do INAG.  

Só em S. Bernardino serão aplicados 1,6 milhões de euros, numa intervenção  que, segundo a vice-presidente do Instituto, Ana Seixas, inclui "o desmonte  de alguns blocos de pedra que estão mais instáveis e em risco de ruir, pregagens,  colocação de redes de sustentação e drenagem de águas".  

CONSULTA PÚBLICA: Planos de Gestão das Bacias Hidrográficas integradas nas Regiões Hidrográficas 6 (Sado e Mira) e 7 (Guadiana)

Nos últimos anos tem-se vindo a desenvolver um esforço de unificação das directivas relativas aos recursos hídricos, no seio da União Europeia.

Como resultado deste trabalho, surgiu a Directiva-Quadro da Água (DQA, 2000/60/CE), transposta para a legislação nacional, através da Lei da Água (Lei nº 58/2005, de 29 de Dezembro) e do Decreto-Lei nº 77/2006, de 30 de Março, onde se assume a participação pública como um dos elementos fundamentais da política da Água.

A participação pública no processo de planeamento dos recursos hídricos pretende o envolvimento de todos os sectores e actores sociais (poderes públicos, autoridades públicas e privadas, empresas e particulares, público em geral, etc.) na definição das acções relacionadas com a água e a sua gestão, de forma responsável.

Para este efeito, pretende-se com esta página, fornecer a todos os interessados as informações necessárias para se envolver na gestão da água, e ainda disponibilizar um meio de comunicação que permita colocar sugestões, pedidos ou propostas, sobre a matéria em causa.

A Administração da Região Hidrográfica do Alentejo, I.P. (ARH do Alentejo) é responsável pela elaboração do Plano de Gestão das Bacias Hidrográficas integradas na Região Hidrográfica do Sado e Mira (designada por RH 6), determinada através do Despacho n.º 18429/2009, publicado no Diário da República, 2.ª série, n.º 153, de 10 de Agosto de 2009 e do Plano de Gestão das Bacias Hidrográficas integradas na Região Hidrográfica do Guadiana(designada por RH 7), determinada através do Despacho n.º 18428/2009, publicado no Diário da República, 2.ª série, n.º 153, de 10 de Agosto de 2009. Os referidos Planos de Gestão de Bacia Hidrográfica (PGBH) foram elaborados de acordo com o estipulado na Portaria nº 1284/2009, de 19 de Outubro, que regulamenta o nº 2 do artigo 29º da Lei nº 58/2005, de 29 de Dezembro (Lei da Água) e que estabelece o conteúdo dos PGBH, previstos na mesma Lei da Água.

Navios de Combate à Poluição do Mar

Neste artigo, o autor apresenta a sua posição contrária à aquisição dos Navios de Combate à Poluição Marítima (NCPM ou só NCP) e propõe uma opção técnica e economicamente melhor para Portugal.


Em 2001, o Governo decidiu adquirir por ajuste directo com os Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC), uma empresa do grupo EMPORDEF, do Estado, um Navio de Patrulha Oceânico (NPO) e um Navio de Combate à Poluição Marítima (NCP). Em Abril de 2002, a Marinha e os ENVC acordaram que o fornecimento seria de dois NPO, o primeiro por €33m (entregue à Marinha em 30-Dez-2010) e o segundo por €32m. Contratou, em 2004, ainda com os ENVC, a aquisição de dois NCP, como variante dos NPO, mas com duas diferenças de relevo: sem convés para helicóptero e com um Transrec 250 na tolda (ver fig.1), cuja aquisição está prevista no contrato de construção. 

Comissão de Pescadores e População reunidos com Sec Estado dos Assuntos do Mar

As Comissões de Pescadores  e População da Costa Portuguesa reuniram ontem com secretário de estado do mar ,chefe de gabinete Sr. Miguel Cerqueira e Eng.ª Ana Rita Veiga e apresentou as medidas que pretende alterar, assim sendo apresentou as razões de discórdia tendo salientado a discriminação em relação aos não residentes da Costa Vicentina e Sudoeste Alentejano , ás quantidades de apanha de marisco , o defeso do sargo , a interdição da quarta feira e zonas de restrição. 
 
Mostrou-se também esta comissão disponível para acompanhar as entidades no terreno para que em conjunto possamos fazer uma  revisão das portarias que regulamentam a pesca lúdica.
 
Tendo a salientar a forma como foram  recebidos , bem como a atenção que foi dada a tudo que as comissões reivindicaram.
 
Foi pedida celeridade na resposta a esta reunião.
 
As Comissões aguardam assim novo contacto para Setembro quando se aguarda ver algumas alterações.
 
As Comissões vão agora desenvolver em conjunto com pescadores e população uma acção de sensibilização de limpeza e utilização dos pesqueiros em toda a costa Portuguesa. 
 
O MAR É NOSSO!!!

Comissão de Pescadores População da Costa Portuguesa: PESCA LÚDICA- Definições de Alterações

Assunto : PESCA LÚDICA- Definições de Alterações



Conforme nos foi amavelmente solicitado temos o prazer de lhe enviar as nossas reivindicações:



Igualdade de todos os cidadãos: Sem por em causa que o parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina possa ter regulamentos próprios exigimos que estas sejam aplicadas por igual a toda a população portuguesa. Por conseguinte que se ponha termo imediatamente à discriminação dos habitantes do resto do Algarve e do Alentejo, bem como aqueles que residindo em Lisboa, Porto e resto do país aqui passam férias e fins-de-semana. Os Parque Naturais e as suas regulamentações devem ser feitas para atrair as pessoas e não para as hostilizar.


Quantidades de marisco: As quantidades de marisco autorizadas devem ser suficientes para um convívio familiar. Assim no caso dos perceves a quantidade deve ser entre 2 a 3kg. Já em relação às restantes espécies – mexilhão (6kg), ostras (10kg), ouriços (10kg), as quantidades que gostaríamos de ver consagradas, mas estamos abertos a participar na discussão das mesmas. Os polvos 7,5 kg,


As multas e a vigilância: Os valores das multas/coimas na pesca lúdica, tanto no mar como no rio, são exorbitantes, quando comparadas com as condições sociais do país e da maioria dos pescadores lúdicos. E são afrontosas quando os seus valores as comparam com actos com graves consequências sobre a vida de pessoas, como seja conduzir embriagado. Além disso devem ser dadas instruções às forças policiais no sentido de terem um comportamento adequado a uma actividade em que as pessoas se vão distrair e descontrair. É absurdo e insultuoso que um pescador lúdico se veja vigiado por binóculos como se fosse um delinquente capaz de causar graves danos à sociedade.

I Congresso Iberoamericano de Gestão integrada de Áreas Litorais (GIAL)


Temas e subtemas propostos, associados à Gestão Integrada de Áreas Litorais (GIAL) da comunidade ibero-americana de nações

1.Usos e actividades humanas em áreas costeiras e marinhas

•Povoamentoshumanos: urbanismo, saneamento, infra-estruturas, equipamentos
•Actividades económicas: Transporte marítimo, portos e navegação, turismo, lazer e recreio, pesca e aquicultura, agricultura, mineração, petróleo, novas energias (costeiras e marítimas) mar, salinas, outras actividades tradicionais
•Património cultural: tradições e costumes relacionados com as áreas costeiras e marinhas
•Técnicas e instrumentos para a gestão integrada de usos e actividades em espaços costeiros e marinhos: ordenamento do território, áreas costeiras e marinhas protegidas e Marine SpatialPlanning(MSP)

Ministério da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território

Ministério da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território

Secretário de Estado da Agricultura: Diogo Santiago Albuquerque

Secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural: Daniel Campelo

Secretário de Estado do Mar: Manuel Pinto de Abreu

Secretário de Estado do Ambiente e do Ordenamento do Território: Pedro Afonso de Paulo

Fonte: TVi24 

Edgar Martins Patrício - Pesca artesanal


O Edgar é pescador desde os 12 anos. Natural de uma terra que poucas alternativas deixa, o Edgar teve um percurso de vida muito simples e a dada altura muito complicado. Por diversas vezes viu a morte muito próximo, tudo por causa do álcool.

Após o nascimento do filho e depois de um grande acidente de mota, que lhe ia tirando a vida, acordou... e decidiu mudar de vida. Sozinho, conseguiu recuperar. 

Com o esforço do seu trabalho tirou a carta de condução e comprou o seu primeiro carro, algo que o deixou muito orgulhoso.Aos 34 anos e com outro filho a caminho, percebeu que tinha que ganhar mais dinheiro para sustentar a família. E só o conseguia se tivesse o seu barco.

Hesitou, antes de nos contactar, nunca tinha tido um credito e tinha medo... mas percebeu que tinha condições para assumir essa responsabilidade e arriscou. Hoje, está muito mais confiante e as coisas tem corrido muito melhor. O Microcrédito mudou a sua vida.

Vote nesta ideia, ajude-o a conseguir um incentivo de €2500 para aplicar no seu negócio.

VOTAR ;

Fonte: Dona Antonia 200 anos

Reclamações: Milfontes quer acesso à praia


Venho por este meio expressar o meu descontentamento relativamente a uma situação na praia de Vila Nova de Milfontes. Há muito tempo que visito esta vila. Recentemente, fiquei perplexa ao ver uma praia lindíssima à qual falta um acesso em condições. Conforme se constata na foto, as escadas de madeira que servem de acesso estão destruídas e com bastantes buracos.

Marluce Arruda

RESPOSTA

O Município de Odemira tem conhecimento da situação mencionada, bem como de outras existentes no concelho. Esta situação deve-se ao Inverno bastante rigoroso que afectou a nossa costa, danificando muitos dos acessos existentes. Sendo esta uma competência da ARH – Administração da Região Hidrográfica, foram efectuados os contactos necessários para que se procedesse à reparação dos acessos danificados. O Município de Odemira já deu conhecimento à ARH – Administração da Região Hidrográfica das condições dos seus acessos e aguarda neste momento que a mesma tome as diligências necessárias, em compromisso assumido, até final do mês de Junho, para a reparação dos acessos às praias.

Câmara municipal de Odemira 

Os últimos 10 anos foram um período “negro” para os Oceanos


A última década foi um período devastador para os oceanos, em que 99% das espécies marinhas em perigo de extinção ainda não tem planos de conservação e 70 milhões de toneladas de peixe foram deitados fora.

A Oceana, uma das maiores organizações internacionais que trabalha unicamente para proteger os oceanos, alerta que caso não se tomem de imediato acções os danos nos oceanos serão irreversíveis. Esta organização internacional para a conservação da vida marinha estima que desde o princípio do século XXI, 70 milhões de toneladas de peixe foram apanhados apenas para serem deitadas ao mar. Também foram destruídos 110 000 hectares de erva marinha que servem de refúgio a milhares de organismos, e 99% das espécies marinhas em perigo ainda não têm um plano de conservação.

Os avanços tecnológicos postos em prática para sobre aproveitar os recursos dos oceanos maximizam os lucros a curto prazo da indústria pesqueira, sem terem em conta a sustentabilidade da subsistência de milhões de pessoas nem a conservação dos ecossistemas marinhos. Entretanto, a maior parte dos mares profundos permanecem por explorar, o que significa que em muitas áreas, ferramentas pesqueiras destrutivas são permitidas sem sequer se ter a noção da biodiversidade que se está a destruir. Ainda no ano passado a Oceana descobriu um recife de coral profundo em águas europeias coberto de linhas de pesca.

Dias 3 e 4: Brejão, Odemira

Pessoalmente não tinha memória de tamanha megalomania mas na verdade, há quase 20 anos e salvaguardadas as devidas distâncias, este foi o computador «Magalhães» de um facilmente seduzido Cavaco enquanto Primeiro-Ministro.

Dias 3 e 4 (Directo marcado para Segunda, 9 de Maio)
Brejão, Odemira +37° 34' 59.11", -8° 39' 55.06" *


A primeira não correu mal. Julgamos já ter encontrado o ritmo certo. Arrancamos, chegamos, gravamos até aguentar. No dia seguinte teremos a manhã para gravar planos em falta e montar o «esqueleto da peça» (o off, mais os vivos).

Almoça-se, e a seguir dá para montar o (muito) que falta.
Na Estrada a caminho do Sul segue-se o legado de Thierry Roussell. Falaram-me de quilómetros e quilómetros de estufas percorridas ao longo de inimagináveis horas num jipe.

Pessoalmente não tinha memória de tamanha megalomania mas na verdade, há quase 20 anos e salvaguardadas as devidas distâncias, este foi o computador «Magalhães» de um facilmente seduzido Cavaco enquanto Primeiro-Ministro. O playboy estrangeiro (Thierry), esse, veio, prometeu, sacou empréstimos à União Europeia, ao Governo, à Caixa Geral de Depósitos e a quem mais conseguiu e desapareceu, em circunstâncias obscuras e mal explicadas. Rezam as crónicas que os morangos afinal não se venderam a preços que compensassem o investimento. Só que as marcas ficaram, doridas, por debaixo das cicatrizes de quem ainda aqui mora e um dia acreditou num futuro extraordinário, onde os autocarros traziam gente aos milhares para transformar o chão de areia, quase praia, numa horta como nunca antes se havia sonhado.

Destroem placas do Sudoeste


Dezenas de placas do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina (PNSACV) foram vandalizadas durante a última semana. Toda a sinalização, que se estende ao longo de 56 quilómetros, entre Sines e Odemira, aparece agora pintada de negro com o desenho de uma cruz em branco, estando em algumas inscrita a palavra "Fora". 

Desconhecem-se, para já, os autores destes actos de vandalismo, que surgem numa altura de forte contestação às regras que são impostas no acesso à costa, à pesca e no âmbito do plano de ordenamento do território da área protegida do Sudoeste.

Fonte do Instituto de Conservação da Natureza e Biodiversidade (ICNB), entidade que gere os parques naturais do País, disse ao Correio da Manhã que "não comenta" actos de vandalismo, mas adiantou que o prejuízo é já "bastante elevado". "São estruturas caras, e nem sempre é possível repô-las no imediato, apesar da manutenção regular das placas, que envolve alguma logística", sublinhou Sandra Moutinho, do gabinete de relações públicas do ICNB.

O Correio da Manhã contactou as comissões de pescadores e população da costa portuguesa, que não quiseram prestar declarações sobre este caso, que entretanto foi também comunicado às autoridades policiais.

Fonte: CM