A Baila (Dicentrarchus punctatus) da sorte




A pesca com artificiais tem destas coisas, a história é como outra qualquer no decorrer das idas ao mar, embora tenha tido outro final desta vez, poderia ter-lhe chamado do 5 ao 50 (distancias percorridas, tempos de capturas totais, peso do maior exemplar), resolvi chamar-lhe a Baila da sorte. 

Foi um acompanhar da descida da maré, isto é aproximadamente quatro horas de vazante, com condições propicias a se registarem movimentações deste tipo de predadores, mas nada durante estas quatro horas, nem eu nem o Miguel sentimos nada. Foram vários artificiais que experimentei sem êxito.


O sol já tocava na linha do horizonte e seria nesta fase que daria um exemplar para qualquer um de nós, mas também na foi desta, e já sem sol à vista, resolvi avançar uns 50 metros na direcção do mar, onde teria mais uns metros para lançar em comparação com o local onde estava.

Chegando ao local, faço cerca de quatro ou cinco lançamentos com a Saltiga, uma vez que o local se apresentava com pouca água e cheio de pedra, deparo-me com um ataque, e ferragem de uma baila, apesar de ter já um tamanho razoável foi devolvida à água.



Como forma de agradecimento pelo gesto, digo eu, fui brindado de seguida com um exemplar na ordem dos dois quilogramas, que após recuperado o levei os 50 metros atrás.

De volta ao local, mais quatro lançamentos e novamente outro ferrado, do mesmo lote, se pensava já não capturar nenhum então com aqueles dois, já era uma coisa que não estava nos planos, a mesma história, os mesmos 50 metros e o regresso ao "spot" desta vez com um saco de rede, pois apenas a pouca luminosidade me conduzia ao local, meia dúzia de lançamentos e outro ferrado, desta vez um pouco maior que os anteriores, em força e em gramas, já não foi preciso percorrer os 50 metros.

Com três exemplares capturados em pouco mais que 5 minutos, e de volta aos lançamentos em leque (das 9 horas ás 3 horas), e depois de dois varrimentos, à passagem pelo local das capturas sinto algo idêntico à ferragem de um substrato rochoso, pelo menos foi a primeira impressão que tive, mas não era uma rocha, pois as rochas não dão cabeçadas assim.



À medida que o ia trabalhando ia comentando com o Miguel que estava ali um belíssimo exemplar, saltei para a água e depressa o coloquei numa capa de água de meio metro e ai foram algumas investidas que este Sr. Labrax proporcionou, consegui coloca-lo em seco e recupera-lo, estava ali o meu maior exemplar capturado ao Spinning.

Tenho de agradecer ao Miguel (boleia e fotos) pois sem ele estas capturas não teriam sido possíveis.

Peso: 5,800 Kg/2,100 kg/2,000 kg/1,900 kg
Medida: 80 cm
Fundo: Misto
Maré: Baixa-mar 
Multifilamento: Fireline Cristal 0,17 mm
Cana: Hiro Bullet Lure
Carreto: Tica Splendor
Artificial: Daiwa Saltiga LS 140

24 comentários:

Anónimo disse...

muito bom! Parabéns! troféu dos troféus! Filipe

Pedro batalha disse...

Boas Fernando
Parabéns pelo troféu record, é um exemplar magnifico.
Abraço desde o Ribatejo

Pedro Soeiro disse...

Qualquer peixe merece um saudação. Um record pessoal deste calibre merece uma saudação ainda maior.
Os meus parabéns e que estes exemplares se repitam.
Abraço.

Pedro Nunes disse...

Oh Fernando!
Porra!!! Vai com calma meu! Tu nem avisas e apareces aki com uma pesca deste calibre, vai lá vai, a fazeres 50 metros dessa maneira tas preparado pos jogos olimpicos..
Gostei muito de ver esse lote.
Parabens e abraço.

Sargus disse...

Boas Filipe grato pelo comentário, um exemplar diferente acima de tudo, uma experiência diferente quando agem de forma diferente daqueles exemplares que estamos habituados.

Mais uma experiência...

Sargus disse...

Boas Pedro, grato pelo comentário.

Como referi anteriormente é um belo exemplar, o maior ao spinning, mas ainda faltam umas gramas para chegar ao 8,200 kg da caça submarina.

Abraço do Alentejo Litoral

Sargus disse...

Viva Pedro Soeiro, qualquer exemplar merece ser tratado com dignidade, e mesmo que lhe tenhamos de infringir a morte, na minha humilde opinião deveremos recorda-lo, imortalizando o momento, sem prejuízo poderemos avaliar qual seria o seu caminho se tivesse partido, não tivesse ferrado o artificial ou se soltado...

Grato pelo comentário, e bons lançamentos também para ti Pedro.

Abraço.

Sergio Fernandes disse...

Boas Sargus
estas ferragens tipo rocha que anda e dá cabeçadas,é o que nos poê o sangue a ferver.
parabens pelo troféu
abraço

Sargus disse...

Pedrão, eu vou com calma, depois de verão apenas fui quatro vezes, isto tem dias, e temos de aproveitar a maré de sorte...

50 metros dessa maneira de noite e em local de relevo acidentado é obra Pedro, mas a adrenalina supera esses pormenores...

Abraço.

Sargus disse...

Boas Sérgio

"estas ferragens tipo rocha que anda e dá cabeçadas,é o que nos poê o sangue a ferver"

Por instantes associei que estava a pescar ao safio, agora a meio metro da água, com rocha no fundo, de noite e alguma ondulação espraiada é obra...

Grato pelo comentário

Abraço

Sérgio Tente disse...

Boas Fernado,

Que pesca fantástica. Parabéns pelos exemplares e pelo bonito record.

Abraço

Toño disse...

Enhorabuena Fernando.
Preciosa marea.

Un saludo

PêJotaFixe disse...

Bro,
Tás com a mão quente! eheheheheh E o camarada, não tocou na xixa?

Abração ; ))

Tasko disse...

Parabens Sargus, é um trofeu, ainda para mais da maneira que foi e de noite....
Parabens!!
Abraço

Nuno Caçorino disse...

Yoo man,

Estás on fire !!

Forza ragazzo e continuação de muitos episódios dessa bitola! :)

Grande abraço mizade.

NC

Matos disse...

Boas Fernando,

epá nem te atrevas a perder essa amostra ! hehehehe...

Já reparaste na variação de peso de peixes com o mesmo comprimento?

O outro tinha 4.100 e este 5.800...

Eu já apanhei um com 6 Kg com 80cm certinhos...

Excelente relato, bom exercicio e boas capturas ;)

Continua assim, abr Matos

Sargus disse...

Boas Sérgio,

É daquelas pescas que não se esta à espera e já no final de perdermos a esperança em meia duzia de minutos dá nisto...

Abraço

Sargus disse...

Hola Toño.

Gracias

Cordial saludo

Sargus disse...

Boas Paulo.

É mais a amostra quente...

Porta te bem...

Sargus disse...

Viva Tasko, obrigado pelo comentário.

Foram momentos mágicos, um gajo está sempre a apreender com os peixes...

Abraço

Sargus disse...

On fire?

Agora levo com meia dúzia de grades em cima do lombo para apreender, quer dizer, já capturei mais 2 este feriado, mas pequenos (1 e 1,5)

Grande abraço

Sargus disse...

Boas Matos,

"epá nem te atrevas a perder essa amostra !"

Teve quase, mas esta amostra tem historia, para uma entrada no blog quando tiver tempo...

"Já reparaste na variação de peso de peixes com o mesmo comprimento?"

Já um estava magro, o outro gordo, é uma diferença de 1,700 gramas, agora não imagino o peso deste peixe gordo e ovado (+- 7 a 9).

Abraço companheiro

Anónimo disse...

ca ganda cagão :) ve lá se quando o gaspar começar a querer peixinho todos os dias não gastaste a sorte toda antes :)

fantástico exemplar e linda pesca.

P.S.-> È impressão minha ou estás com a boina toda rota :)

Abraço,
Coucello

Sargus disse...

Boas Miguel

"começar a querer peixinho"

Isso já passou, já ha uns dois meses que come sargo e robalo...

A sorte não se gasta, procura-se...
Não é boina, é mais um Santantónio invertido tipo R Silva...

Porta-te bem e apareço aqui por baixo brevemente...


Abraço