O Sargo



A fauna piscícola do sudoeste alentejano e costa vicentina é muito variada. Nesta extensa costa habitam grande parte da ictiofauna portuguesa.
Onde o sargo é rei.
Os sargos são hermafroditas: alguns jovens machos mudam para fêmeas quando atingem a idade adulta. O sargo pode atingir 45 cm, sendo frequente até 20 a 30 cm. Com três e sete anos têm cerca de 23 a 32 cm, respectivamente. Podem chegar aos 18 anos, atingindo então cerca de 41 cm.
São uma espécie que tem como base de alimentação essencialmente todo o tipo de marisco, mas é em bancos de mexilhão, perceves e areadas que é mais frequente encontrarmos numerosos cardumes.
O seu corpo é comprimido lateralmente, com cabeça grande e boca extensível. É de cor prateada, com 7-8 bandas negras verticais e outra no pedúnculo caudal.
A sua boca é constituída por dois maxilares repletos de uma forte dentição, tanto superior como inferior a qual utilizam para arrancar perceves, mexilhões e triturar os mexilhões, ouriços, lapas,etc

Reprodução: Época de postura de Janeiro a Março.

1 comentário:

Carlos Gamito disse...

Para mim a "morte" do sargo é grelhadinho...