POPNSACV - Regime protecção Area Marinha e Fluvial


Areas de protecção total Artigo 63.º RCM n.º 11-B/2011
Areas de protecção parcial I Artigo 65.º RCM n.º 11-B/2011

RCM n.º 11-B/2011

Planta n.º1

Inicio - Ribeira da Junqueira
Fim - Porto Covo


Protecção Total - Pedra do Burrinho

Planta n.º2
Inicio - Porto Covo
Fim - Ponta do Carreiro Manso


Protecção Total - Pedras adjacentes à Ilha do Pessegueiro
Protecção Parcial I - Áreas envolventes da Ilha do Pessegueiro


Protecção Total - Pedra da Atalaia

Planta n.º3

Inicio - Ponta do Carreiro Manso
Fim - Carreira Brava


Protecção Total - Pedra da Enseada do Santoleiro e Pedra da Baía da Nau
Protecção Parcial I - Áreas envolventes do Cabo Sardão

Planta n.º4

Inicio - Carreira Brava
Fim - Pedra das Gralhas


Protecção Parcial I -Esta zona que pela planta de sintese dá a entender que é uma zona de Protecção parcial I, não está identificada na alinea a), do nº.2, do artigo 65.º da RCM n.º 11-B/2011, como tal não terá força de lei presumo, esta é uma nova area incluída que não estava identificada.


Protecção Total - Pedra da Carraça
Planta n.º5
Inicio - Pedra das Gralhas
Fim - Sequiadouro


Protecção Total - Pedra da Agulha

Planta n.º6

Inicio - Sequiadouro
Fim - Praia do Burgau


Protecção Total - Pedra das Gaivotas e Pedra do Gigante


Protecção Parcial I - As áreas envolventes dos Ilhotes do Martinhal

6 comentários:

Diogo disse...

O inicio da interdição da pesca na costa vicentina!
POPNSACV começou á uns anos como um cordeirinho, mas rápido o lobo mostra as garras.....!!!!!

Sargus disse...

Viva Diogo.

Tambem concordo, antes não existia nenhuma restrição ou proibição, entretanto começou a aparecer e foi logo com a 868/2006, que fui substituída pelas 143-144/2009, mas como houve muita "porcaria" ainda tiveram o bom senso de elaborar a 458-A/2009 - Alterações às Portarias n.º 143/2009 e 144/2009, em breve com a saída e aprovação desta obra da treta POPNSACV (cheia de erros e de falta de rigor) irá sair em breve as alterações à 143-144.

Para variar prevejo mais uns arranhões nos artistas que por cá andam e pagam impostos...

Cumprimentos.

Anónimo disse...

Boas amigos, nesta planta nº4, a tal que nao consta da alinea b, mas que parece ser uma area de interdição parcial tipo 1, tenho duvidas quanto aos limites da area, isto sendo na zona do Rogil, parece-me ser a area compreendida entra a praia vale dos homens e praia da carreagem... Mas se me pudessem ajudar quanto ás cordenadas destes limites, eu agradecia. Obrigado

Sargus disse...

Boas amigos, nesta planta nº4, a tal que nao consta da alinea b, mas que parece ser uma area de interdição parcial tipo 1, tenho duvidas quanto aos limites da area, isto sendo na zona do Rogil, parece-me ser a area compreendida entra a praia vale dos homens e praia da carreagem...

Norte da praia do Vale do Homem e norte (+100 metros) da praia das carreagens.

"Mas se me pudessem ajudar quanto ás cordenadas destes limites, eu agradecia. Obrigado"

A legislação da pesca lúdica esta a sair, com ela vão sair as coordenadas, não vale a pena andarmos a cruzar dados do google earth ou de SIG para acharmos coordenadas, elas vão sair em breve...

;)

Cumprimentos.

P.PC disse...

Bem pra ser sincera não pesco nada destes mapas,e peixe muito menos apesar de termos tirado a licença de pesca,até costumo dizer que gosto de ir dar comida aos peixes,mas não nego que me apaixona este hobie...

Sendo assim há por aqui restrições que nunca mais acaba...pros pescadores claro!!!

Questiono o seguinte:

em relação as agriculturas intensivas(biologicas,ah ah...) praticadas no sudoeste,quais os mapas que condicionam as mesmas,qual a distancia que o PRM delimita entre a orla costeira e o mesmo,relativo as drenagens destes terrenos que confrontam com as falesias.e linhas de agua que desaguam na praia machado carvalhal e machado,....

Gostava tb de saber pra onde emigraram os linces ibericos que se avistavam ha poucos anos atras nestas zonas,os charcos temporarios que por aqui existiam dando abrigo e alimento a muitas destes animais...a flora da zona armenia camarinheira tomilho miosotis narcisos,pinheiro bravo e manso entre outras ...

Ha algum amigo que me possa esclarecer deste assunto,tm gostaria de saber qual o caminho que posso ir pra praia do machado pois os arrendatarios dizem que é propriedade privada,de avião não posso o aeroporto mais proximo é em beja...tgv tb não...como não tenho asas está probiba a livre circulação....apesar de haver condicionalismos sobre residentes e não residentes,mas como sou residente...não sei....

Só sei que estamos privados da nossa liberdade,pelas pessoas que se denominam como arrendatarios dos terrenos.....

Cumprimentos a todos

P.PC

Sargus disse...

Caro ou cara P.PC, desde ja obrigado pelo comentario, quanto as condicionantes do espaço maritimo e fluvial esta tudo resumido nos mapas, de forma mais resumida, se pretender mais alguma informação sobre o mesmo aconselho a ver o POPNSACV http://portal.min-agricultura.pt/portal/page/portal/MADRP/PT/servicos/legislacao/conteudos/F_LEGIS_2011/RCM_11-B.pdf?_template=

pois la melhor do que estar a transcrever podera informar-se sobre o dito, que uma vez mais para a sua publicação haviam salvaguarda de valores naturais floristicos e faunisticos, mas apos a sua aprovação, não passa de mais uma publicação que regulamenta tudo e mais alguma coisa mas na pratica não regulamenta coisa nenhuma e nem fiscalização existe.

"Questiono o seguinte:

em relação as agriculturas intensivas(biologicas,ah ah...) praticadas no sudoeste,quais os mapas que condicionam as mesmas,qual a distancia que o PRM delimita entre a orla costeira e o mesmo,relativo as drenagens destes terrenos que confrontam com as falesias.e linhas de agua que desaguam na praia machado carvalhal e machado,...."

Na minha humilde opiniao, o POPNSACV foi feito para permitir tudo e mais alguma coisa dentro do PRM, falo da agricultura intensiva que pode fazer linhas de drenagem para linhas de agua que vao desaguar as praias da Amalia, Machados, Carvalhal, Zambujeira, nossa senhora, Almograve, Brejo largo.

quanto a distancias e competencias faz parte das competências do ICNB (que para além de intervenção poderiam agir nestes pontos, uma vez que tem a seu cargo toda a área territorial dentro dos limites do PNSACV) e ARH (entidade que pode intervir na área de 50 metros desde o limite de marés, em zonas balneares para o interior ou desde a crista das falésias até 50 metros para o interior), a Policia maritima que tem competencias no espaço de Dominio Publico maritimo.

"Gostava tb de saber pra onde emigraram os linces ibericos que se avistavam ha poucos anos atras nestas zonas,os charcos temporarios que por aqui existiam dando abrigo e alimento a muitas destes animais...a flora da zona armenia camarinheira tomilho miosotis narcisos,pinheiro bravo e manso entre outras ..."

Os linces ibericos vejo os todos os dias (gatos), quanto as lagoas temporarias, faz parte do estrago das agriculturas intensivas e das suas redes de drenagem e terraplanagens, bem como o mato litoral que foi reduzido a plasticos, mas no PRM tudo se faz e pode fazer porque no PRM não existe biodiversidade nem natureza para proteger, so fora do PRM.


"Ha algum amigo que me possa esclarecer deste assunto,tm gostaria de saber qual o caminho que posso ir pra praia do machado pois os arrendatarios dizem que é propriedade privada,de avião não posso o aeroporto mais proximo é em beja...tgv tb não...como não tenho asas está probiba a livre circulação....apesar de haver condicionalismos sobre residentes e não residentes,mas como sou residente...não sei...."

Existe dois caminhos, um em frente ao parque de campismo do Carvalhal 8vai dar a meio da praia mas tem de deixar o carro e andar um pouco a pe, a descida é resoavel, o outro ja deu problemas á uns anos e parece que vai continuar a dar, não conheco a situação actual, era do lado direito de quem sobe da praia do carvalhal passado pelas acaçias e lá ao fundo descendo a falesia, mas para fechar esse caminho terão de dar uma outra acessibilidade ou caminho, pois ninguem pode fechar um caminho so por ser propriedade privada, quando o mesmo serve e serviu de passagem ao longo de dezenas de anos.

cumprimentos.