ICNB fomenta a biodiversidade no seu quintal

A sede do PNSACV em Odemira

ICNB fomenta o desenvolvimento e preservação da biodiversidade na sua sede do PNSACV, como comprova a foto.

Mais uma das boas praticas que este Instituto tem vindo a levar a cabo nesta área.

Ao fundo, viaturas em fim de vida.

É aconselhável que se reveja a questão Reciclagem de veículos automóveis subiu 1200% em três anos


6 comentários:

José da Silva disse...

Muito bem, é claro que existem assuntos bastante mais graves na área do Parque que esses senhores e a sua massa mínima de funcionários simplesmente fecham os olhos.
Saiam daqui porque não estão cá a fazer nada.

Anónimo disse...

Se me permite e, a propósito do tema biodiversidade no que se relaciona com a postura, assumida ou presumida, do ICNB gostaria de dizer:

O ICNB tem-se mostrado o maior inimigo da biodiversidade porque ainda não entendeu que está para a biodiversidade como os outros países estão para o Brasil e a sua Amazónia.
No Brasil querem dar mais terra para ser agricultada e isso implica maior deflorestação na Amazónia.
Os demais países do mundo, perante este objectivo e meio usado, acusam o Brasil de estar a destruir o terço de oxigénio que ainda existe no planeta.

A posição do Governo brasileiro de Lula é +/- o seguinte:

Vocês (outros países) deflorestaram, agricultaram e não quiseram saber do oxigénio e desenvolveram-se e, agora, querem impedirem-nos de dar bem-estar e desenvolvimento aos brasileiros?
Se querem isso vão ter de pagar!

Com a Europa e Portugal as coisas não são muito diferentes.
Desataram a converter em Parque Natural e Rede Natura 2000, grandes zonas (já vai em perto de 30% da área do país se incluir a orla marítima) e toca a limitar e proibir estas e aquelas actividades, sejam em terra, seja no mar.
O concelho de Vila do Bispo tem quase 100% da sua área encaixada na Rede Natura ou no PNSACV e seguem-se-lhe os concelhos de Aljezur e Odmira e um bocado em Sines.

A UE até acha que se deve pagar ( tem programas específicos a que só podem concorrer países e outros o fizeram!) e aqui o MAOTDR e o ICNB o que fazem?

A primeira coisa que querem fazer e fazem, é proibir, condicionar e fazer a vida negra aos habitantes.
Exemplos execráveis de indiferença, prepotência e arrogância não faltam.

Pagar fica no ar, com vagas promessas com aquelas do passado que nunca foram cumpridas.

Todos estamos de acordo com ambiente sem poluição, limpo e puro.
O demais terão de pagar e isto para ser assegurado o princípio da igualdade.
É que todos beneficiam e só uns tantos são sacrificados, percebem?

De outro modo só conquistam inimigos!
Pensem nisto!

Sargus disse...

Viva José Silva.

Sim sem duvida que existem, uns camuflados, outros a céu aberto para todo o bom visitante ver...

Abraço.

Sargus disse...

Carissimo, tem a total permissão.

A desflorestação da Amazónia, ou melhor, do pulmão do planeta é sem duvida um dos pontos de grande impacto na qualidade e no aumento da problemática aquecimento global, se diminuem a floresta, diminuem a hipótese de fotossíntese, se a matéria prima é madeira poderá ser queimada e produzir mais Co2, as espécies que vivem nessas florestas poderão estar em risco, etc.

"Desataram a converter em Parque Natural e Rede Natura 2000, grandes zonas (já vai em perto de 30% da área do país se incluir a orla marítima) e toca a limitar e proibir estas e aquelas actividades, sejam em terra, seja no mar."

Mas e o que tem feito por estas áreas, por estes parques, para alem de proibições? Se bem que se não houvessem determinadas proibições estas áreas não estariam como estão actualmente, o pior é sem duvida as restrições aos habitantes locais, sem desprimor para os visitantes como é óbvio, mas são as pessoas da terra que mais estimam a sua zona, a terra que era dos bisavós, avós, pais, e será dos filhos e netos.

Mas depois existem sempre uma excepção para privados, investimentos, toneladas de betão como já li por ai, quando se diz desenvolvimento sustentável...

Parasitismo é o que é, vivem da força vital dos locais onde se agarram, sugando a energia vital, trazendo o que? Meia dúzia de postos de trabalho, milhares de pessoas, etc, turismo? Não me parece que queiramos turismo mássico como no Algarve, não queremos perder a nossa identidade, não queremos um ALL ENTEJO.

Todos estamos de acordo com ambiente sem poluição, limpo e puro, disso não temos a menor duvida...

"É que todos beneficiam e só uns tantos são sacrificados, percebem?"

Se percebemos!!!

"De outro modo só conquistam inimigos!"

Sempre o fizeram e sempre o farão, não existe nenhum beneficio em lidar com essas gentes estão a km de distancia e gerem a área por folhas de A4 e assinaturas...

Abraço e obrigado pelo comentário.

Anónimo disse...

QUANDO VEJO UMA SELVA DESDAS NAO E DIFICEL PENSAR QUE PESSOAS ESTAO A FRENTE DO GRANDE....ICNB..
SEJAM PESSOAS SENSATAS E COM UM POUCO DE INTELIGENCIA, PERSERVEM PLATEM ARVORES LIMPEM AS FLORESTAS ,MATAS PRAIAS E MAIS IMPORTANTE INFORMAN AS PESSOAS E POPULACOES COMO A MEHOR MANEIRA DE PERSEVAR E CONSERVAR A NOSSA LINDA COSTA ..
PAULO .SUICA

Sargus disse...

Paulo Suica, creio que não posso deixar de concordar com o teu comentário, disseste tudo...

Grande abraço e obrigado pelo comentário.