Artificiais: Pintura restaurada - Procedimentos

Por Filipe Pais

Foto 1

As amostras artificiais sem cores ou com as mesmas degradadas pelo contacto com as pedras, areia, água salgada ou sol.

Foto 2

As manchas e marcas de ferrugem que as fateixas deixam nas amostras tira-se com um esfregar verde molhado em água. Depois passa-se levemente uma lixa de grão fino 280, para tirar restos de salitre e uniformizar a superfície. Quem quiser tirar totalmente a pintura pode fazê-lo com diluente, mas neste caso como vamos aplicar papel de alumínio não é necessário.

Foto 3

Lavam-se em água para tirar as poeiras da lixagem.

Foto 4

Secam-se as amostras.

Foto 5

Para colocar a fita adesiva de alumínio, tira-se o molde da amostra e recorta-se as duas metades. Cola-se alisando do centro para as extremidades com ajuda de uma superfície redonda (ex: caneta) para tirar as rugas. A fita ficará a tapar os olhos de forma a que estes não sejam pintados, depois é só cortar o circulo dos olhos com um x-acto.

Foto 6

Tapa-se a paleta com fita para também não ser pintada.

Foto 7

Para pintar vamos dar primeiro uma camada de branco onde vai ser pintada.

foto 8

Assim será mais fácil atingirmos a cor pretendida com uma camada fina de tinta.

Foto 9

Se for tinta para uma zona que não queremos pintar é só passar um pouco de papel higiénico humedecido e limpar a tinta, pois são tintas à base de água.

Foto 10

Depois é só pintar. damos as cores base e depois os acabamentos do tipo lombo em cor mais escura, realce dos olhos, manchas vermelhas da guelra, etc.

Foto 11

As amostras ficam a secar na horizontal, construi um suporte giratório que permite as amostras irem rodando lentamente para evitar que a tinta escorra.

Foto 12

Depois de secas.

Foto 13

Depois de pintadas corta-se os círculos de fita de alumínio que ficaram a tapar os olhos com um x-acto e tira-se a fita da paleta, pois vamos envernizar toda a amostra.

Foto 14

Os vernizes que uso são vernizes bi-componente usados nos automóveis.

Foto 15

Para envernizar uso uma mini-pistola das que se usam para pintar as motas, há quem o faça por imersão, mas estas pistolas são baratas e permitem poupar verniz, já que depois de misturados os componentes não se consegue guardar o excedente e para imersão é necessário muito verniz. Além disso evitam que se formem bolhas de ar. Só dou uma camada espessa de verniz mas se quiserem dar mais uma camada não podem deixar mais de 10 minutos entre de-mãos pois senão o verniz que está por baixo estala.

Foto 16

Depois de envernizadas deixam-se a secar no suporte rotativo.


Obrigado Filipe Pais.

2 comentários:

Sargollini disse...

Formidável Filipe !!!

Muito bom mesmo !

Um abraço
Sérgio

Rodrigo Zacarias disse...

Parabens Filipe.

O trabalho está 5****.

Um abraço