Pare, escute e olhe


Dezembro de 91.

Uma decisão política encerra metade da centenária linha ferroviária do Tua, entre Bragança e Mirandela.

Quinze anos depois, o apito do comboio apenas ecoa na memória dos transmontanos.

A sentença amputou o rumo de desenvolvimento e acentuou as assimetrias entre o litoral e o interior de Portugal, tornando-o no país mais centralista da Europa Ocidental.


Os velhos resistem nas aldeias quase desertificadas, sem crianças.

A falta de emprego e vida na terra leva os jovens que restam a procurar oportunidades noutras fronteiras.

Agora, o comboio que ainda serpenteia por entre fragas do idílico vale do Tua é ameaçado por uma barragem que inundará aquela que é considerada uma das três mais belas linhas ferroviárias da Europa.


PARE, ESCUTE, OLHE é uma viagem por um Portugal profundo e esquecido, conduzida pela voz soberana de um povo inconformado, maior vítima de promessas incumpridas dos que juraram defender a terra.

Esses partiram com o comboio, impunes.

O povo ficou, isolado, no único distrito do país sem um único quilómetro de auto-estrada.


Trailer Cinema "Pare, Escute, Olhe"

"Pare, Escute, Olhe" retrata uma região transmontana despovoada, vítima de promessas políticas não cumpridas. Na linha ferroviária do Tua, o comboio viaja para uma morte iminente. Em nome da progresso, a construção da barragem de Foz-Tua, ameaça submergir um património único que faz parte da identidade transmontana. "Pare, Escute, Olhe", realizado por Jorge Pelicano, venceu seis prémios nacionais, incluindo Melhor Documentário Português no DocLisboa 2009 e o Grande Prémio do Ambiente no CineEco 2009 em Seia.

Teaser "Pare, Escute, Olhe" Barragens

O Plano Nacional de Barragem deu origem a vários movimentos de protesto, quer na sociedade civil, quer nos partidos da oposição, em particular o Partido Ecologista "Os Verdes". Heloísa Apolónia é um dos rostos da luta. A barragem da Foz-Tua ameaça submergir a centenária Linha Ferroviária do Tua.

Fonte: PEO

Dia da Terra

5 comentários:

Anónimo disse...

Olha o cavacas tão novo

lololol

parece um playboy

Os rostos do passado/presente/futuro

falta é o cimento

lolololol

mas tá quase

lololololo

Arrebenta com tudo!

Tamos dizimados brevemente.

João Carlos Claro disse...

Caro Sargus

Também partilho a memória de ter percorrido essa linha entre a foz do Tua até Bragança. A minha filha apenas conseguiu chegar a Mirandela e os meus netos apenas ouvirão contar histórias sobre uma linha desaparecida.

Em contraponto deixo aqui a ligação para um comboio na Suécia, próximo de Estocolmo:
http://www.youtube.com/ostrawebred#p/a/u/0/UMYW7DtYrXg

Paguei 5 euros por uma viagem de 3km e durante 15 minutos atravessei uma paisagem muito menos magnífica que o vale do Tua. Mas os comboios estão sempre cheios de turistas.

Porque será que noutros países, muito mais ricos, se preserva a identidade e a memória, enquanto em Portugal o "desenvolvimento" significa perda irreversível de património cultural e natural?

João Claro

Anónimo disse...

A destruição de um património paisagístico, cultural e social em nome de 0,qualquer coisa % de energia para o país.

Sargus disse...

Carissimo João Claro.

Desde já o meu agradecimento pelos comentários.

No que diz respeito a esta linha, infelizmente não tive o prazer de arquivar na minha memoria tal aventura...

"Mas os comboios estão sempre cheios de turistas."

Deixo aqui a partilha de um outro projecto que +por si só seria uma vantagem económica e turística de sustentabilidade do interior, mas que será uma utopia sem duvida, agora estamos na era do TGV.

http://www.transcantabrico.com/

"Porque será que noutros países, muito mais ricos, se preserva a identidade e a memória, enquanto em Portugal o "desenvolvimento" significa perda irreversível de património cultural e natural?"

Mentalidade politica dos que nos tem governado, império do betão e alcatrão, lobbys, etc.

É difícil encontrar um consenso e muito mais um caminho...

Infelizmente.

Fernando Encarnação

Anónimo disse...

O Estado - representado na EDP pela Parpública e pela CGD com um total de 25%, como tal a EDP é só mais uma como a PT, REN, BRISA, etc, que tem ajudado a que estejamos onde estamos, não existe concorrência, como é óbvio é uma América na EDP...

A PT e Galp continuam a apresentar milhões de lucro, pudera...