Sudoeste Alentejano


Localizado em Plena Área do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina (abrangendo a zona de Sines ao Burgau/Lagos), desde a zona da Praia dos Áivados (norte do Malhão e sul da ilha do Pessegueiro) até Odeceixe (norte).


Onde a terra acaba e o mar começa, a fronteira mística dividida pela morfologia geográfica alterada entre zonas dunares, pequenas arribas, grandes falésias o estuário do Mira e de Odeceixe e algumas pequenas ribeiras que vão desaguar ao mar...


Os contornos da costa acidentadas brindam-nos com linhas imperfeitas que a erosão se encarregou de traçar e delinear ao longo dos tempos, a força do mar na dura realidade da chegada e contacto com terra em dias de revolta...


O cheiro da maresia, o som das ondas do mar no braço de ferro limitado por marés contra a linha de costa, os "gritos" das gaivotas, os ventos que giram aos quadrantes de forma rebelde...


Toda a nossa faixa costeira ocidental é tocada pelo mar, Oceano Atlântico, um dos sete mares, a alma selvagem de toda a faixa litoral do Sudoeste Alentejano e da Costa Vicentina...


O mar essa imensa massa de água salgada que brota vida mesmo na ínfima gota, onde a fauna e a flora brota vida em comunidade com o meio ambiente terrestre e marinho, que sustenta a vida de algumas pequenas populações residentes nas zonas litorais que retiram e sempre retiraram alguma forma de sustentabilidade dos recursos marinhos.


Mas é de facto toda a estrutura geográfica e ambiental que torna esta moldura viva única, a fauna , a flora, o clima e a fronteira entre o espaço solido e o espaço liquido, entre socalcos de áreas dunares douradas e extensas com rocha entalhada num misto de falésias de alta e baixa estatura que cativam qualquer um.


As zonas dunares mais importantes são zonas extensas que ocupam grandes áreas litorais que podem ser observadas nas zonas de Vila Nova de Milfontes, Almograve, Cabo Sardão (norte), Zambujeira do Mar, Brejão, Aljezur e Carrapateira.

A natureza ainda na sua forma selvagem.

4 comentários:

Sargopt disse...

Magnificas fotos, texto muito bem escrito, começa-se a tornar uma referencia este blog.

COntinua a escrever que é um prazer ler e ver estas paisagens e locais deste nosso alentejo.

Um abraço,
E vai te a eles

Manuela disse...

A nossa Costa (a do Sudoeste Alentejano) é realmente fantástica. Apesar de ser uma nativa, apenas há relativamente pouco tempo tive oportunidade de conhecer a maravilhosa praia de Odeceixe (numa fantástica simbiose entre o rio, o mar e a arriba, onde as casas caiadas de branco reflectem a luz do sol)e a da Carrapateira. Se uma convida a misturarmo-nos com a paisagem, esta última esmaga-nos com a sua beleza. A primeira é como uma tela inacabada na qual cada um é livre de participar. Já a segunda, é como uma pintura acabada, pronta para ser admirada, mas de longe, com o devido respeito que nos merecem as obras dos grandes mestres. E que grande Mestre este!

Bem ajas por mostrares tanta admiração e respeito pelo nosso litoral.

FC disse...

Dá prazer ler um post destes. É como uma viagem aos locais que estao retratados nas fotos.
Parabens e boa sorte para o teu Blog.

Abraço,
Fernando

FE disse...

Obrigado pelos comentários, tento dar a imagem e a descrição destas lindas paisagens que sou brindado constantemente, felizmente, só espero que daqui a algum tempo não possa dizer, isto antes era assim...