O Pargo (Pargus Pargus) na costa litoral


Vitor de Matos (Pargo de 3 kg)

Com o aquecimento das águas cada vez mais se vão verificando todos os anos a presença destes exemplares junto à faixa litoral onde fazem as delicias de pescadores lúdicos com as suas potentes lutas como é o caso destes amigos que tiveream a felicidade de os encontrar enquanto pescavam ao sargo, engodando com sardinha. De salientar que o pargo de 2.250 kg apanhado pelo Ricardo foi ferrado , trabalhado e capturado pela modalidade de tento (sentir ou pesca directa) o que lhe valeu um elemento novo da cana.



Zé (pargo de 5 kg) Ricardo (Pargo de 2.250kg)

O pargo de nome científico (Pagrus Pagrus), pertence à família dos esparídeos, de igual forma como o sargo (Diplodus Sargus) e a dourada (Sparus Aurata) ou o sargo viado (Diplodus Cervinus Cervinus), sendo especies identicas com as mesmas dietas alimentares e características semelhantes, ate na reprodução são idênticas incluindo a alteração do sexo (hermafrodita).


(pargo de 5 kg)

Como base de alimentação podemos encontrar um variado leque de iguarias composta sobretudo por crustáceos, sendo caranguejos e pequenos camarões os eleitos, dentro da espécie moluscos os búzios, lulas e polvos são um manjar que apreciam durante toda a sua vida e claro pequenos peixes. São os seus dentes caninos, juntamente com os numerosos molares que equipam as suas maxilas, que permitem que o pargo se alimente de presas bem diversas, muitas das quais, como os ouriços e mexilhões, todas elas são vítimas da poderosa prensa triturante que são os maxilares destas espécies.


Zé (pargo de 5 kg)

Na boca possuem uma dentição característica, com dentes incisivos cortantes (4 ou 6 em cada maxila) e os posteriores arredondados, sendo esta arma potente que lhe permite partir conchas e crustáceos ou cortar molusculos ou carne com facilidade.



Ricardo (Pargo de 2.250 kg)

Por outro lado o pargo tem uma notável capacidade para se habituar a qualquer tipo de fundos, sejam eles compostos por areia, rocha ou mistos, uma vez que consegue capturar e alimentar-se em qualquer tipo destes fundos, onde facilmente poderá encontrar qualquer tipo de alimentação que faz a sua dieta.



Ricardo (Pargo de 2.250 kg)

Em termos de tamanho estamos perante uma espécie que pode facilmente atingir 1 metro ou mais de comprimento e mais até 15 quilos de peso.
Normalmente habita e vive desde a costa até aos 250 metros de profundidade.


Nas nossas águas o pargo é um dos gigantes, sendo um exemplar desta família demora quatro a seis anos a atingir os 40 centímetros e a pesar um quilograma, podendo atingir um metro de comprimento e oito quilogramas de peso ou mais, segundo os estudos científicos um peixe deste porte poderá viver até aos 22 anos.

7 comentários:

Anónimo disse...

Grandes bichos. Assim vale a pena.
Já pesco no Mar há 20 Anos, deve estar para chegar o meu dia para meter um bicho desses no saco.
Luís Duarte

Anónimo disse...

Espectaculo de artigo sobre o pargo ainda mais sabendo que foram capturados de terra.
Eu imagino o que sera matar um peixe destes com cana de tento onde a unica elasticidade que existe é praticamente a cana...
Parabens pelo artigo, muito mas muito bom.

Ricardo

FE disse...

Pois é estes amigos já se bateram com esta mágnifica espécie, o Ricardo teve foi o azar de o menino lhe partir o ultimo elemento de uma Dinax, mas a captura foi sucedida na mesma.

Obrigado pelos comentários.

Anónimo disse...

Também, com 57 canas não deve ter ficado apeado!

:-)

Grandes fotos, grande artigo!

Ricardo Silva

Sargollini disse...

Boas

Aqui na Costa Sintrense também já saiu um Pargo Legítimo com 5Kg´s e a 6m de profundidade mas á Caça-sub.
Mais uma vez se nota que o peixe anda todo maluco com o arrefecimento e aquecimento constante das aguas!

Mais uma vez um bom artigo do amigo Fernando.

Aquele abraço
d;^)

Dias disse...

Diz o ignorante:

Isso são Pargos?
Se eu visse uma coisa dessas dentro de agua era capaz de nadar mais depressa...

Grande abraço Bro (e continua)

FE disse...

André esse senhor da 1ª foto do pargo já almoçou na tua casa ;)

O Vitor.

Grande abraço.