Comunicado da C.P.P. – Comissões de Pescadores e População


Recebi por e-mail o Comunicado com pedido de divulgação da C.P.P. – Comissões de Pescadores e População.

INFORMAÇÃO IMPORTANTE - MAR PRIVADO? NÃO OBRIGADO! - À POPULAÇÃO DA COSTA PORTUGUESA

O Descontentamento contra a lei da pesca Lúdica e da Apanha de Marisco tem vindo a alastrar a toda costa portuguesa, à medida que as multas chovem, com especial relevo para a Costa Vicentina e para Arrábida.
As populações do litoral já perceberam que o governo não tem vontade – ao contrário do que tem afirmado – em alterar as brutais e rocambolescas leis que atentam gravemente sobre a vida, o trabalho e o lazer das populações costeiras e dos portugueses em geral!

EXPULSAM-NOS DO LITORAL, NÃO NOS DEIXAM MARISCAR, DESTROEM A INICIATIVA PRIVADA LOCAL E O CONVIVIO, IMPEDEM-NOS O ACESSO AOS BENS NATURAIS PARA ABRIR PORTAS AOS GRANDES EMPREENDIMENTOS!

Informamos o Povo do seguinte:

1. Reunimos na Primavera deste ano no Algarve, (Vila do Bispo), com os Deputados do Partido que está no Governo, onde lhe apresentámos detalhadamente as nossas reivindicações, aliás expressas já numa gigantesca concentração no dia anterior em Aljezur, onde também participámos de repudio pela revisão do Plano do ordenamento do Parque Natural, um conjunto legislativo que a coberto de pretensas protecções ambientais mais não visa do que despojar as pessoas dos seus direitos e das suas propriedades!
Diariamente assistimos à saída de legislação na área da agricultura, do pequeno comercio ou da pesca desportiva ou artesanal, todas no sentido de defender o grande e estrangular o pequeno!

2. Mais tarde, e não tendo até aí qualquer informação positiva, reunimos na Carrapateira, (Aljezur), com o Sr. Secretário de Estado do Ambiente, Presidente do I.C.N.B., deputados do Governo, Governadora Civil de Faro e outras individualidades, encontro este onde ficou patente o entendimento entre os pescadores desportivos e profissionais, mas onde nada foi adiantado de concreto pelo governo! Ficámos com a sensação de que estão à espera que nos cansemos!
Não nos cansaremos! Não nos dividiremos! A luta é para continuar e vamos estendê-la a toda costa Portuguesa! Continuaremos a reivindicar o que é nosso:

• Fim da descriminação dos Portugueses do Norte, do Centro, do Interior e da costa Sul do Algarve que estão proibidos de mariscar na Costa Vicentina . As leis são para todos!
• Fim da lei pouco clara que proíbe a pesca nos locais com melhor vista da Costa durante a noite!
• Quantidades permitidas de marisco adequadas a um convívio familiar ou amigável! Porquê esta mania, que tem séculos, das classes dominantes esmagarem o convívio dos pobres!?
• Controle e fiscalização das potenciais fontes principais de poluição da costa Portuguesa, Sines, celuloses, grandes explorações do Mira, etc.
• Fim da proibição de pescar à quarta-feira na costa alentejana! Que raio de justificação pode sustentar esta cláusula? Para que é que querem a costa à Quarta-feira sem ninguém!? Nem de dia, nem de noite!?
• Autorização para o uso de vários instrumentos tradicionais de mariscar das várias regiões do País!
• Condições de trabalho para a frota artesanal!
• O defeso actualmente na Costa Vicentina a manter-se terá que ser aplicado por igual a todos os pescadores e não apenas os da cana como acontece.

Sr. Secretário de Estado do Ambiente, que interesse se pretende defender com a teimosia em manter a costa Alentejana e Vicentina deserta à noite? O que é que nós perturbamos ou o que é que se quer que nós não vejamos à noite?

3. As nossas propostas foram entregues aos Srs. Deputados do Partido do Governo sob a forma de projecto de Portaria já há alguns meses!

4. Apelamos à População, aos clubes recreativos, culturais ou desportivos, à A.N.P.L.E.D., aos sindicatos, às associações regionais a todos os que queiram defender os seus bens privados ou colectivos, que participem nas iniciativas futuras!


Português que vives no Litoral ou aí vais à praia ou à pesca!
Não deixes o lixo nas praias ou nos rochedos!
Deita as pilhas no Pilhão!
Não faças como “eles” que nada fazem para defender o ar e o mar dos dejectos industriais ou como acontece em Odemira com as explorações da agricultura intensiva em cima das falésias e nos culpam a nós pescadores de cana de sermos os predadores da costa!
Quem destruiu as algas laminares na costa Alentejana e Vicentina?
Quem encheu o mar de Leiria com espuma?
Para onde vão os óxidos de enxofre e o etileno de Sines?

MAR PRIVADO? NÃO OBRIGADO!

C.P.P. – Comissões de Pescadores e População

Contactos: 961231650 e 963170493
- Costa a norte do Cabo Carvoeiro - 917242402
- Costa do Cabo Carvoeiro ao Cabo de Sines - 918711769
- Costa a sul do Cabo de Sines – 962561875
Morada: Quinta Nova do Cerrinho – Castanhal
7630 – 033 Boavista dos Pinheiros
Correio electrónico: comissõespescadorespopulação@gmail.com

Portimão, Sagres, Aljezur, Odemira, Sines, Setúbal, Marinha Grande, Ericeira, Peniche, Leiria, Nazaré, Figueira da Foz, Aveiro / Outono 2010.

4 comentários:

Anónimo disse...

É melhor começarem a dar ideias para o Plano de Ordenamento do Mar, pois que todo esse imenso espaço que vai para além das 200 milhas e que Portugal está perto de conseguir seja reconhecido como território nacional, vai ser "um mar de concessões", ou seja, vastas áreas vão ser concessionadas a privados para exploração nos termos desse futuro Plano de Ordenamento.

Preparem-se, pois, para a divisão do mar em talhões, seja para a exploração petrolífera, seja, outras fontes de energia, bancos de pesca, turismo sob as suas mais diversa formas nomeadamente construções subaquáticas etc.

Aliás, esta pode ser a saída de Portugal para criar novas empresas e criar novos empregos, e para isso podem dispensar o ICNB, basta um Ministério do Mar com condições para evitar a poluição, e, se assim for, verão que a biodiversidade estará em todo o lado.
Por outro lado esqueçam essa visão saudosista e poética do passado. Essa reivindicação de quererem uma costa só para os pescadorzinhos tradicionais vai acabar.

A população aumenta, o mar é de todos e, aquilo que se lê nestes blogues é de que o verão é para esquecer porque os turistas estragam tudo e delapidam as coisas que só devem pertencer aos locais.
Portanto, a solução vai ser concessionar a costa, mariscos, etc a quem mediante CONCURSO público pagar mais pela exploração dos recursos PÚBLICOS, quer o faça para comer seja para depois vender.
Se já concessionam os locais nas prais para os banheiros, que mais querem?
Claro que têm razao em estar contra essas portarias e outras regras que não lembram ao diabo.
Claro que o ICNB não é preciso, que devia ser extinto para melhorar o défice, passar as suas competências para o Ministério da Agri ou do MAR, sem esquecer que algumas das suas competências só servem para emaranhar, complicar e entorpecer.
Eu estou como o outro disse por aí algures. Se querem biodiversidade, acabem com a poluição.
MAS este país está cheio de tipos milionários, que são os melhores do mundo e que se gabam de ter sempre o melhor da europa e do mundo. A Assembleia da República, por ex.º montou um sistema de audiovisual e de parafrenália de novidades que ultrapassou todos os parlamentos do mundo.
Pudera, estamos tesos e todos aqueles que têm votado nestes tipos são os culpados. Exijamos ver o NOSSO DEPUTADO em s. BENTO para lhe apertarmos os colarinhos e corramos com toda esta cambada.
A mudança é de fundo e olhem tb não vale a pena desejarmos as confrarias do tipo espanhol.
Edmundo Paixao

Sargus disse...

Viva caro Edmundo Paixão, desde já o meu agradecimento pelo comentário interessante que teve a amabilidade de colocar pelas questões que lançou para o ar, irei dar destaque ao mesmo.

Anónimo disse...

Caro amigo Sargus,

O meu propósito foi lançar a discussão, desconstruir, virar qualquer coisa do avesso, para tentar ver as coisas de uma nova perspectiva.
Ainda bem que sou bem recebido.
Obrigado
Edmundo Paixão

Sargus disse...

Caro Edmundo Paixão,

O seu proposito foi um pouco visionário no meu ponto de vista, apesar de pessoalmente acreditar que para lá isto caminha, só não acredito que seja uma viragem radical, não porque não acredito nela, mas sim porque muita coisa se passaria nessa altura.

"Ainda bem que sou bem recebido.
Obrigado"

Por estes lados não se trata ninguém mal...

;)

Cumprimentos