Concelho de Odemira, nomes das zonas do litoral

Existe um inúmero nome onde é designado uma zona ou um local junto a uma faixa litoral de falésia ou praia.

O Concelho de Odemira como o maior do País, é de igual forma grande em nomes de zonas litorais, as angras (baías), as pontas, as furnas, as praias, os portos, as pedras, etc.

Para cada nome existe uma designação, fundamento ou característica que levaram a esse "baptismo", em seguida existe a relação dessas zonas de norte para sul abrangendo única e exclusivamente o Concelho de Odemira:

- Praia dos Aivados - Praia do Malhão - Recanto das Taínhas - Angra da Barrela
- Angra da Cerva - Angra do Ladoiro - Angra da Galhofa - Porto das Barcas
- Pedra da Foz - Praia das Furnas - Pedra da Atalaia
- Angra do Cozinhadoiro - Pedra dos Corvos - Ponta do Cavalo
- Praia do brejo Largo - Picos - Angra do Travasso
- Angra das Melancias - Foz dos Ouriços - Praia Grande
- Ponta da Ilha - Lapa das pombas - Escadinhas
- Entrada do Pau - Carreirões do Pulo - Cão
- Angra dos Mouros - Sardão - Pomba
- Santoleira - Pedra da Cerva - Furna dos Carneiros
- Ponta da Perceveira - Lavagueira - Praia do Tonel
- Espigão - Porto das Barcas - Baía da Samouqueira
- Pedras do Inferno - Praia da Zambujeira - Praia dos Alteirinhos
- Lombo do Asno - Praia do Carvalhal - Castelo Velho
- Carreiro Bravo - Porto das Barcas - Praia de Odeceixe

Nota: Existem um diverso e numeroso número de nomes de pesqueiros que estão nestas localizações, fazem parte dos mesmos ou estão em zonas limítrofes, estes nomes são os que denominam a zona litoral.

8 comentários:

Anónimo disse...

Boas

Nunca comentei para este blog, mas já há algum tempo que sigo os seus artigos e acho extremamente interessante, bom trabalho!! Tenho 18 anos, sou de Sesimbra, mas onde gosto muito de pescar é na terra da minha avó, onde vou sempre que arranjo espaço livre, Aljezur, mais concretamente, Rogil. Querem mais nomes para a lista, mas do concelho de aljezur? Aqui vai: Barranco ; Praia da samouqueira ( paéis, pedra alta); Aipo ; Esteveira (pedras compridas); Barradinha (rego das safias) ; Praia Vale dos Homens (Hortas, Pego do carrapato) ; Cheinhas (Coeiras, Pedra do preto, Jordão) ; Caliceiras ( Laje, local de má memória para um marisqueiro por lá ter caído ao mar na Páscoa de 2004, com mar de 6 m); Cama do preiro; Peças (limoso de dentro/fora , pedra do safio) ; Barranco Falcato (cavalinho) ; Carriagem (ganho dentro/fora , peçolho redondo, Gretas, Cova Salgada ; Amoreira ; Treme-treme; e deixo o resto para outros...

Cumprimentos, Jorge

Sargus disse...

Viva Jorge,
Desde já o meu agradecimento pelo teu comentário e observação, fico bastante grato.

Quanto aos nomes das zonas da terra da tua avó (Aljezur), conheço bastante bem todos esses locais, passo lá bastantes horas por ano, na pesca que mais prazer me dá, aos sargos, é uma excelente zona com características bem definidas quer geograficamente como morfologicamente, uma zona que me faz sentir muito bem.

Irei aproveitar esses nomes para um futuro levantamento que faça também estava a pensar colocar os nomes do concelho de Aljezur porque é uma zona que frequento bastante. Mas a minha intenção agora é tentar fazer um trabalho de levantamento com pessoas dos locais acima descritos, para encontrar uma razão e fundamento para cada nome, acho engraçado.

Uma observação quando faleceu esse mariscador, não estavam mares de 6 m, estavam aí de 2 a 3 metros, e curiosamente encontrava-me a apanhar perceves a sul do Vale do Homem, com dois amigos, um do Rogil e o outro de Odeceixe, o mar estava bastante falso e as marés eram enormes.

Abraço e mais uma vez o agradecimento pelas visitas e opiniões.

Anónimo disse...

Boas sargus, também me dou por mim as vezes a perguntar o porque desses nomes peculiares das rochas, acho bastante interessante. O que ouvi falar da Vale dos Homens foi que num temporal houve um naufrágio ao largo da praia e a tripulação deu á praia no dia seguinte, tendo sido enterrados todos no vale (barranco) onde era a fonte, daí o nome Vale do homens. Se é verdade ou não, não sei...
Quanto ao dia na Laje,pensando bem, tens razão no que dizes. Eu estive na carriagem no dia anterior e aí sim davam ondulação na costa ocidental de 6 m e estava realmente muito bravo. O marisqueiro, salvo erro, dono do café Três arquinhos, caiu no dia seguinte, estava eu na Esteveira, com o mar já bem mais calmo, mas ainda assim muito traiçoeiro. Lembro-me também que as marés eram enormes, de facto.

Abraço, Jorge

Sargus disse...

Boas Jorge,
Obrigado pelo comentário, já agora com vagas de 6 metros ninguem, mas ninguem apanha perceves, porque mesmo com a baixa mar, essa ondulação faz com que a maré fique praticamente cheia, e ondulação de 6 metros é algo completamente espectacular de se ver no alto de uma falésia, não junto à linha de água...

Abraço.

Paulo Machado disse...

Olá Fernando,
Conheço alguns desses locais que mencionas...são sitios excepcionais. Sou um apaixonado por toda essa zona da costa e do Alentejo que visito desde que me lembro. Espero voltar a fazê-lo por estes dias da Pascoa.
De certeza que visitarei e me lembrarei d´alguns nomes que mencionas.
Parabéns e sucesso para o teu blog ;)

Ricardo disse...

Viva Fernando,

de facto tenho a certeza que cada uma dessas zonas, cada uma dessas pedras, terá ganho o seu nome por um qualquer episódio ou história que lhe esteja associada e seria muito interessante conhecê-las.

Há pelo menos uma que sempre me deixou curioso: na zona da Arrifana, a Laje dos Cabrões (assim mesmo aparece num mapa militar) :-)

Dentro do muito bom trabalho que tens feito, quer na área técnica da pesca, quer noutros aspectos essenciais (ética, segurança, etc.) uma espécie de "Roteiro das Pedras do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina" seria muito interessante!

Abraços!

Ricardo Silva

Sargus disse...

Olá caro amigo Paulo,
Obrigado pelo comentário, espero que nessa altura (Páscoa), digas algo, pelo menos para nos conhecermos e quem sabe lançar umas artificiais ;)

De igual forma agradeço e desejo-te o sucesso para o teu blog ;)

Grande abraço.

Sargus disse...

Viva carissimo Ricardo,

Sim acho que cada nome tem um significado por algum motivo especial, vou tentar fazer um trabalho de levantamento dessas histórias dos nomes, certamente será sem duvida muito estimulante, principalmente pelo contacto com pessoal ligado ao mar bastante mais velhos do que eu.

"Há pelo menos uma que sempre me deixou curioso: na zona da Arrifana, a Laje dos Cabrões (assim mesmo aparece num mapa militar) :-)"

Contra factos não há argumentos...

"O Roteiro das Pedras do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina" seria muito interessante, como dizes, mas não propriamente um roteiro, talvez mais um aspecto histórico dos motivos a que levaram a colocação e baptismo das zonas, só mesmo para não ferir susceptibilidades, se quiseres o roteiro eu levo-te aos locais...

Abraços, e uma vez mais obrigado pela tua interacção.