Vou ali buscar uns sarguinhos para o jantar


A primeira jornada do ano, uma pequena queda de mar, mas com previsões de bastante vento de norte, o que aconteceu logo após o inicio do baixa-mar.
 
Após a chegada ao local que me proporcionava o primeiro contacto com o mar, tive o prazer de encontrar o meu amigo  António José, havia algum tempo que não nos encontrávamos e  nem era tarde nem cedo  iniciamos a descida da falésia para um pesqueiro que apresentava condições, apesar do imenso frio matinal.


As tentativas foram várias, bóia, chumbadinha, fundo, mas nadam, apenas senti dois pequenos toques e nada mais, estava na hora de mudar de rumo, sem que antes comentasse com ele que já se notavam as "borregas" lá fora, era a confirmação da chegada do vento.

Depois da subida encontramos um outro amigo o Carlos Algarvio, que apesar de ter algum receio em se aproximar das falésias pesca de locais altos, estranha coincidência...


Comentávamos algumas aventuras e histórias de pesca naquele local, inclusive os dois últimos grandes robalos que lá o Carlos tinha capturado, grandes aventuras, ferrar um robalo, ligar a um amigo que estava a uns 20 km de distancia para lhe trazer o cesto para tirar o peixe, cesto esse que era a estrear e infelizmente se abriu já com o peixe na subida, seguindo para o seu habitat natural.


Uns dias do peixe outros do pescador...


Enfim, já era hora de eu tentar a minha sorte, lá me despedi da malta e segui para o pesqueiro.
 
Muito vento e o mar cavado, água verde escura, e munido de algumas sardinhas e camarões lá desci e iniciei a minha pesca.


Estava difícil pois os peixes capturados foram a ferros, o vento era brutal, quase que me tirava a cana da mão, mas engodar com este mar não é tarefa fácil, e não foi, vento, mar cavado, corrente forte e gaivotas esganadas com fome, um belo dia para se ficar no conforto do lar...
 
Mas lá tentei até que resolvi abandonar a faina, já completamente sem condições conforme a maré ia baixando.


O resultado foi este, meia dúzia de sargotes que já vão dar um belo jantar.
 
"Com vento Noroeste não cace nem pesque", mas foi o inicio do ano e das jornadas aos Sargos, vem ai o defeso para pescadores lúdicos do PNSACV que nos vai proibir de capturar sargos de 15 de Janeiro a 15 de Março.


Conversar com amigos de pesca, pescar em condições adversas, alimentar gaivotas, apanhar vento e frio, capturar sargos e voltar a casa de perfeita saúde é o que interessa...

10 comentários:

PêJotaFixe disse...

Amigo,
Realmente hoje era melhor ficar em casa sossegado! Uma Nortada brutal e cachão grosso de vento também foi o que me calhou a Sul, apesar de também ter feito uns peixes para jantar.

Abraço e saudações piscatórias

S. Ferreira disse...

Belas imagens, Fernando.
Desde o Verão que não pesco aos sargos.
Por aqui, agora começam a encostar mas é a surfcasting. Todos os anos se apanham belas "chapas" após os temporais. Porém, abandonei quase na totalidade esta modalidade:)

Anónimo disse...

Your blog keeps getting better and better! Your older articles are not as good as newer ones you have a lot more creativity and originality now keep it up!

Sargus disse...

Viva Paulo.

Quanto a mim, pelo conjunto valeu o dia, estive com malta que não via à uns tempos, pesquei, apanhei frio, etc, quanto não vale isso...

Quanto ao jantar, o maior sargo estava um luxo mesmo, daqueles marisqueiros, quando o arranjei só tinha o bucho cheio de ouriços, só o cheiro a ouriço, me relembrou que brevemente tenho de sondar tal espécie para saber se já está ovada.

;)

Abraço.

Sargus disse...

Viva Sérgio.

Desde já obrigado pelo comentário.

Para mim a pesca ao sargo é a pesca ao sargo, pela sua multi variância de hábitos, sendo permanente todo o ano, quer à cana como na submarina.

Não se deve abandonar uma modalidade que nos dá um bom sargo para grelharmos, ou fazermos no sal...

;)

Abraço.

Sargus disse...

Hi.

Tanks for the comment.

I gonna try keep it up.

Good year 2010.

Mário Ramos disse...

Viva Fernando

Bela pescaria apesar das condições adversas.

Sargus disse...

Viva caro amigo Mário.

É verdade...

Condições destas levam qualquer um a ficar em casa, um pouco de sofrimento não faz mal, pois vêem ai o tal defeso e só daqui a 2 meses é que posso colocar os dentes num sargo, sou como o outro se apanho bom porque vou comprar menos bom...

Eh, eh, eh, nunca me aconteceu comprar sargos, nem comê-los em restaurantes.

Felizmente vai sendo um bom sinal.

;)

Abraço caro amigo e bom ano.

Pedro batalha disse...

Boas Fernando
Com ou sem vento acho que fizeste bem, apanhaste um ar do mar, sentiste a maresia, e apanhaste uns peixinhos.
Aqui por Santarém nada disso, só frio e chuva....pesca nem vê-la.

Abraço

Sargus disse...

Ora viva Pedro.

Desde já obrigado pelo comentário.

É isso mesmo, infelizmente o tempo de disponibilidade é bastante reduzido, ainda mais agora em trabalhos e exames, mas não ha-de ser nada...

...hà mais marés do que marinheiros...

Para ti desejo te um bom ano cheio de boas capturas, e saúde e sorte, ;), tens de apanhar umas proteínas do mar para fornecer ao rebento ;)

Abraço