Pesca ao Sargo


Pescar ao Sargo é e sempre foi uma enorme emoção, tanto nos pesqueiros que selecciono, no ambiente envolvente, a paz e tranquilidade que uma jornada me proporciona, para não falar no prazer da luta destes exemplares.

A pesca à boiá é sempre algo envolto de adrenalina quando vemos a bóia desaparecer no meio de uma zona de oxigenação e sentimos o vergar da cana assim que ferramos o peixe, mas essa pratica deixo-a para as alturas ou mares mais duros.

Apesar das condições climatéricas não terem favorecido e reunido as condições ideais para uma jornada no sábado, heis que chega o domingo, um pouco de vento matinal, mar mais mexido e encontrando-se já no baixa mar, e sem condições que permitissem a passagem para o pesqueiro que desejava ir, rumei mais a sul, a uma zona pouco frequentada devido às altas falésias e as acessibilidades reduzidas.


Chegando ao local depressa concluí que a zona estava com bastantes condições para a pesca ao Sargo, bastante oxigenadas junto ás pedras, fundos mistos e de areia, carreiros e caneiros de pedra fortemente mariscados, faltava saber se havia peixe a sério, uma vez que a costa actualmente tem sido invadida por pequenos Sargos que vêem juntos das areadas em busca dos pequenos "pilaus", "teagens" e "camarões".

Após a descida de aproximadamente 50 - 60 metros o primeiro pesqueiro escolhido começa a ser trabalhado, o engodo como sempre é unicamente à base de sardinha, engodagem à mão para cima da pedra onde a ondulação de pequena vaga vinha buscar o engodo e na revessa o encaminhava para meia água numa zona de oxigenação. Curioso o facto de apenas ter visto meia dúzia de gaivotas que nem se faziam ao engodo (sinal de que a zona é pouco frequentada).

As primeiras ferragens começam a sentir-se e de imediato ferro um exemplar de aproximadamente 700 gramas, seguiram-se mais alguns entre as 400 - 500 gramas até que começam a aparecer no pesqueiro os pequenos juvenis 100 - 200 - 300 gramas que de imediato eram devolvidos à água, as taínhas também deram o ar da sua graça vendo bons exemplares no pesqueiro onde corria o engodo.


Estava na altura de mudar de pesqueiro, o segundo pesqueiro coincidia com um carreiro comprido de fundo de areia com as pedras cheias de perceves e mexilhão, um grande caneiro que corria até meio desse carreiro, onde comecei a engodar para cima da pedra, local onde a ondulação viria buscar o engodo. Ferro novamente um bom exemplar similar ao que tinha ferrado no pesqueiro anterior, novamente a mesma história, o maior e depois começa a sair peixe de 400 - 500 gramas até que por final chegavam os pequenos que eram devolvidos à água.

A baixa mar estava no final e a pesca também, certamente se tivesse continuado no local apareceriam exemplares maiores no decorrer do preia mar. Foram capturados aproximadamente 9 kg de sargos com meia dúzia de boas safias. Utilizei 6 kg de sardinha para engodo e iscagem e 600 gramas de camarão para iscagem.

Assim que a maré começou a encher o vento aumentou consideravelmente e com isso o final da jornada e a subida era mais que evidente pois à tarde já estava estipulada uma viagem até à Carrapateira.


18 comentários:

Rodrigo Zacarias disse...

Boa Pescaria e grandes fotos!!!

É claro que o relato da tua jornada de pesca está um espectaculo.

Parabens e um abraço

Sargus disse...

Viva Rodrigo, obrigado, mas já estava a precisar de passar uma manha no mar, as condições climatéricas não tem favorecido e o tempo livre tem sido pouco.

Abraço e obrigado pelo comentário.

;)

Sargollini disse...

Excelente relato Fernando !

Fico contente por voltares a relatar aqui as tuas jornadas de pesca !

Forte abraço
Sérgio

S. Ferreira disse...

Já tenho saudades de ir aos sargos. A partir do meio de Julho, vai ser de seguida...mas de noite;)

Ricardo disse...

Aí está!

Pelos vistos foi uma manhã retemperadora e bem passada!

Mais uma bom relato com cheirinho a mar!

Abraço!

Ricardo Silva

Sargus disse...

Viva Sérgio,
Obrigado pelo comentário, o tempo não tem sido muito e o spinning tem sido culpado da falta de sargos ;)

Grande abraço.

Sargus disse...

Viva Ricardo, foi uma bela manhã por sinal, o tempo ajudou, as capturas também e até fiz alguns registos fotograficos que me satisfizeram ;)

A tarde também não foi má para os lados da Carrapateira, mas desta vez só turismo.

Grande abraço!

Pedro batalha disse...

Boas Fernanado, até que enfim, voltaste às "lides", é com imenso prazer que te vejo em acção.
Abraço e continuação.

Sargus disse...

Viva Pedro,
Tem sido difícil arranjar disponibilidade para ir "dar milho aos pombos" (engodar), mas lá consegui, mas o peixe agora é muito pequeno o que não motiva nada ;), apanha-los e devolve-los a boa pratica ;)

Grande abraço caro amigo.

Punani disse...

Oi primo!! Bom blog que aqui tens!Fico contente que na familia antes de mim já havia outros "viciados" no oceano!! Gostei também de ver o teu post, sobre o meu grande amigo e companheiro de mar..o Ze Nicolau!! Vai visitando também o nosso site www.punanimafia.com !! abraço

joão Pedro

Sargus disse...

Boas primo Jonny!!

Obrigado pelo comentário e por gostares do que aqui coloco, mas já sabes que o oceano tem um especial relevo para mim ;), se conseguisse respirar "under water" de certeza que já cá não estava (na terra).

Claro que tenho passado pelo Punani.

Grande abraço e porta te bem ;)

Ernesto Lima disse...

Viva Fernando!

Excelente relato e belos peixes!

Só mesmo quem ama o mar, consegue estes relatos e estas pescarias!

Parabéns!

Abraço

Ernesto

Sargus disse...

Viva Ernesto, obrigado pelo comentário, mas o que é certo é que já andava com uma vontade enorme que o tempo não tem sido muito e as ocupações bastantes demais.

Enfim, é uma golfada de ar fresco no corpo e alma sem duvida, ontem também consegui arranjar um tempinho para ir fazer um mergulho, só foram 3 horitas, nem dei pelo tempo passar, muito peixe mas sem medida é bom ver que as especies tem criado bem ;) entreti-me a dar de comer aos pequenos, pois os ouriços eram muitos e ainda estão ovados ;)

Abraço caro amigo.

Ernesto Lima disse...

É assim amigo!

Sem uma pesquita, de vez em quando, gente como nós, não somos nada! Lol

Abraço!

Ernesto

Sargus disse...

Sem tirar nem pôr caro amigo, nem mais nem menos, quando falta algo não está bem, não funcionamos correctamente, a vida em terra não corre bem sem um toque de mar...

Grande abraço.

Anónimo disse...

I inclination not approve on it. I regard as polite post. Particularly the title-deed attracted me to read the intact story.

Anónimo disse...

Good brief and this enter helped me alot in my college assignement. Gratefulness you as your information.

Anónimo disse...

Brim over I agree but I think the post should have more info then it has.