Dose Dupla


O meu amigo e companheiro de jornadas Carlos Lázaro, não podia ter começado melhor o sábado, os "Papudos" já apareceram e deram o ar da sua graça. O maior pesava 4.200 kg o mais pequeno 3.800 kg.

Com grande alegria lá me contou a história das duas capturas.

Mérito mais que merecido pois iniciou-se no spinning à relativamente pouco tempo, a escolha do local, as entradas de água, a cor da artificial, mas sobre tudo a insistência e dedicação, estás de parabéns.

As capturas foram efectuadas sensivelmente perto das 13 horas, o que prova que mesmo com o sol no pico da sua luminosidade é possível capturar robalos, a água estava com tons de esverdeado claro e bastante oxigenada na zona das capturas.

Um dos robalos, o maior, tinha acabado de engolir uma navalheira de pequeno porte, o outro nada tinha no interior do estômago.



Cana: Falcon

Carreto: Tica Splendor 3500

Artificial: Vega



O cenário do possível contacto.


Parabéns Primo continue insistido pois assim vale a pena...
Qualquer dia sou eu, não sei é quando...


16 comentários:

Pedro Russo Baião disse...

Muitos parabéns ao Carlos por uma faina dessas! Simplesmente fenomenal tirar bichos desses ao spinning!

E muitos parabéns a ti Fernando pelas fotos e pelo relato!

Continuem a bombar!

By the way...tens que me falar mais sobre essa amostra da Vega ehehhehe!

Sargus disse...

Boas Pedro, obrigado pelo comentário, quanto á menina artificial só duas palavras...
Baratas e Boas...

Brincadeira, foi com essa da foto (Vega) se fosse com outra certamente se atirariam também, digo eu, mas o que interessa é que eles saíram e até gostaram dela.

;)

xandre disse...

Parabéns Carlos, bonitos bichos.
Agora é só continuar.
Abraço
xandre

S. Ferreira disse...

Belos peixes, Fernando.
Quanto a ti, é apenas uma questão de ires tentando.
Acredites ou não, aprendemos muito com os insucessos e estes encontram-se sempre associados ao spinning que é uma pesca de grandes exemplares. Ehehehhe...
Quanto a amostras baratas, são uma opção minha para as anchovas, mas não para os robalos que as estragam muito pouco.
Prefiro apostar sempre nas topo de gama e para ser mais específico nas amostras de superfície.
Os meus parabéns pelo teu blog que possui bons relatos e estupendas fotos.

Sérgio

Sargus disse...

Viva Sérgio, obrigado pelo comentário, é sempre saudável ouvir o vosso feedback.

Quanto ás idas em vão, nunca o são, pelo menos para mim, dá para purificar o corpo e alma, caminhar muitíssimo", fazer uns registos e "spinnar".

Se tivesse preocupado somente em apanhar peixe já à muito tempo que tinha desistido, pois sabes bem que a minha pesca é sargos, eh, eh, eh.

Tenho um especial prazer pelas passeantes, gosto de as ver trabalhar e dá gosto de ver os ataques (peixe pequeno infelizmente).

Melhores dias virão...

Grande abraço Sérgio.

António Simões disse...

Parabéns ao pescador e Amigo. Acima de tudo essa amizade que vos une num hino á alegria e comunhão.
Quanto aos pormenores técnicos não posso divagar, sobre os aspectos fisicos sim, posso ajudar na minha humilde opinião. A Luminosidade de um équinocio de Outono com o sol a pino, não é a mesma de um sol de solsticio de Verão.É nestes periodos diurnos de inverno , cuja luz solar é mais inclinada e os dias são mais curtos que os robalos atacam ,então sob uma camada oxigenada e um pouco de cor na agua a ajudarem ainda melhor...As minhas maiores marés de corrico diurno foram sempre nos meses de inverno com mar chão, prolongando-se pela noite dentro com outras cores obviamente.
Espero ter ajudado.

Um abraço
António

Zacarias disse...

Boas fotos e um optimo relato. Parabens ao Carlos pelas capturas.

P.S.: Podias ter colocado a amostra que apanhou esses dois, pk aquela não me cheira

Sargus disse...

Amigo António, ai está uma boa explicação sobre a matéria que o amigo tanto conhece, obrigado pela explicação e pelo comentário.

Está quase a chegar a altura da bênção...

Abraço.

Sargus disse...

Boas fotos e um optimo relato. Parabens ao Carlos pelas capturas.

P.S.: Podias ter colocado a amostra que apanhou esses dois, pk aquela não me cheira

Viva Zacarias, obrigado pelo comentário, mas na realidade foi essa mesma que os apanhou, não ganhamos nada com dizer que foi outra ou omitir, se não quisesse dizer qual era não a tinha colocado.

É apenas para desmistificar a ideia que só as artificiais de topo apanham peixe.

Abraço amigo.

Sargus disse...

Boas Xandre, continuar com o que? Mais ainda, tá viciado já nem liga aos Diplodus, já só quer Labrax...

;)

Abraço.

Javier Saldaña disse...

Hola Sargus.
Buena pareja,la rubia y la morena.XDD
Enhorabuena al afortunado.
Yo ultimamente no rasco bola,no pesco nada.
Un cordial saludo.

Sargus disse...

Hola Javier.
Sim buenas capturas duas bonitas lubinas un macho e una femea.
Yo ultimamente tambien no pesco nenhuma lubina, solo piqueñas.
Un cordial saludo.

Javier Saldaña disse...

Hola de nuevo Sargus.
En serio,sabes distinguir un macho de una hembra de lubina.
Es una cuestion que me importa y me gustaria saber.
Yo tengo alguna teoria: aveces me coincide que son hembras las que al morir se quedan con la boca abierta y son mas chatas de morro.Y los machos quedan con la boca cerrada y tienen el morro mas picudo. ?No tengo mucha idea.
Un cordial saludo.

Sargus disse...

Hola Javier.

Creo que hasta podrás tener razón en esa presentación sobre la diferenciación del macho para la femea, pero en esta altura es fácilmente indentificável tanto en los sargos como en los róbalos, pues los machos presentan semen (leituga) las femeas se denota claramente el abdomen lleno de huevas. Se capturemos uno sargo o un róbalo macho él ancha bastante semen (leituga) lo que nos permite claramente identifica-lo a ojo nú como un macho.
Noutras alturas podremos ser confundidos por el hemafroditismo conforme las densidades poblacionales o factores adversos a la propria especie.
Los colores y volumen de las especies no presuponen su sexo básicamente, cuanto a las bocas abiertas se trata de la muerte por falta de oxigénio o cansancio, róbalos muertos en una red o aparato de pesca profesional mueren con la boca abierta, si los cojamos a la caña y los sangremos quedan metalizados sin ausencia de sangre por bajo de las escamas (tonos enrojecidos) su carne queda más rija y mueren más rápido.


Un cordial saludo.

Javier Saldaña disse...

Otra vez gracias por tu respuesta.
Lo que dices esta claro.Pero yo te preguntaba si las distinguias sin necesidad de abrirlas en todas las epocas del año.
Gracias.
Muy interesante el tema del tono rojizo en las escamas.Otra veces vi lubinas asi y no sabia el por que.
Un cordial saludo.

Sargus disse...

Hola Javier.

Un macho tiene la cabeza y boca mayor pienso, podrá haber errores después de la
desove. ;)

Sí, el róbalo queda con sangre por de bajo de las escamas si después de atrapado quedar a debatirse para la muerte por asfixia, generalmente queda más colorado en el local del apoyo de uno de los lados, pues la afluencia sanguinea de la-se con mayor frequencia en locales de apoyo (tipo el escurrir de tinta9, de ahí yo cuando los cojo cortarle una agalla de un lado del operáculo y de otro. Pues así pierden más sangre y mueren más deprisa sin que la carne quede más tierno.

Cordial saludo