Corrubedo - Galiza - 2008


Mais do que uma simples localidade Corrubedo é sem duvida uma perfeita reunião entre a preservação e a sustentabilidade da fauna e flora, onde é notório a preocupação das gentes locais por esse factor.

Creio que o fantasma Prestige, apesar de negativo pelos estragos que ainda hoje se reflectem nas espécies marinhas, foi uma viragem bastante importante na questão da preservação e da sustentabilidade dos recursos.

A privatização dos recursos é notória e por duas vezes tivemos a companhia de mariscadores que foram observar como estava o marisco ou o que andaríamos nós por ali a fazer.

A costa da Galiza é bastante nobre em recursos, de belíssima qualidade. A sua biodiversidade é de facto o ponto a ter em conta, o marisco e bivalves são o ponto fulcral de sustentabilidade de muitas famílias, daí a sua gestão racional e o seu aproveitamento em grandes viveiros naturais em plenas rias, que á primeira vista se assemelham às frotas que proporcionaram o Desembarque da Normandia.

Ao fim de cinco dias é impossível ficar-se indiferente, às belas paisagens entre a serra/montanha e o mar, grandes vegetações, gentes locais fabulosas que nos trataram maravilhosamente quer nas pequenas abordagens que fazíamos, quer nos atendimentos fabulosos, as construções alietórias de vários tipos e modelos arquitectónicos, as Dunas de Corrubedo, as qualidades das águas, os maciços graníticos que eram a fronteira entre a terra e o mar, fronteira essa que não usamos ultrapassar, os "bocadillos de jamon e quejo", as "Estrellas Galicias", os mariscos, os bons sargos, as paisagens que mexeram com todos nós...

Corrubedo é sem duvida uma paraíso de pesca, onde deveremos esqueçer tudo e tentar sentir o mar e perceber como funciona ou se movimentam as espécies, pois são verdadeiramente diferentes do que conhecemos.

O mais importante tudo correu bem, da melhor forma, da mais correcta, o meu agradecimento aos meus companheiros que foram espectaculares; Carlos Lázaro, Miguel Coucello, Miguel Profirio, Ricardo Guerreiro, Ricardo Silva, Vítor Matos, Zé Carlos e ao Pedro Cortes que por motivos de saúde não pode nos acompanhar.

Uma palavra de agradecimento ao amigo António Simões que nos "acompanhou" todos os dias ao final da tarde, mas que infelizmente não pode comparecer em Corrubedo, obrigado caro amigo por nos ter aberto os horizontes nesta aventura, o Santuário existe...



Até um Dia Corrubedo!




12 comentários:

xandre disse...

E os Pimentos Padron?!!!

Abraço
xandre

Sargopt - Miguel Coucello disse...

Pois é amigo, não se volta de lá indiferente, o inverso tb se aplica, o corrubedo não fica certamente igual :)

Obrigado Corrubedo.

Aos bravos do corrubedo resta me dizer até já, brevemente estaremos juntos em outra aventura.

Sargus disse...

Boas Xandre, os pimentos Padron não os cheguei a provar, ainda tentei uns lançamentos com artificiais por descargo de consciência...
Numa semana saíram de lá um de 9 kg, 1 de 4 kg e 1 de 6 kg, não foi nenhum nosso infelizmente...

Grande abraço.

Sargus disse...

miguel, foram sem duvida dias inesquecíveis:
O vinho de Ponte de Lima;
A torneira que não abria;
Os sargos "ao Sucre";
Os Golfinhos;
A camaradagem;
Os resornos;
As estrellas Galiza;
Os bocadillos;
O concurso;
As liçenças;
A amizade;
A pesca;
Etc...

Um dia vamos lá voltar...

Todas aquelas pessoas que nos trataram bem irão nos reconhecer de certeza absoluta, são nostros hermanos.

Até breve para mais uma campanha dos "Bravos".

Grande abraço.

tpsk disse...

Os pimentos do Padrón!!!
Unos pican otros non !!!
Esas fotosss....

Sargus disse...

Amigo Toño, os pimentos padron deve ser denominacion de origem, los picantes es una cousa que no gosto mucho.

Las fotos estão para breve.

Saludo amigo.

Miguel rato_do_mar disse...

Depois de Corrubedo Nada será igual..

Obrigado Amigos,obrigado Corrubedo!

Um dia destes "Os bravos" Voltarão a descoberta...

AB

António Simões disse...

O Corrubedo não deixa ninguém indiferente.Pelo vosso entusiasmo, pela aventura, pela capacidade de pescarem muito bem na vossa modalidade preferida que é á boia,demonstra que a pesca não é um movimento circular, mas feito de nuances e variações sempre diferentes cuja aprendizagem é permanente. É esse o verdadeiro espirito da pesca. Fica a saudade de não vos poder ter conhecido pessoalmente e a nostalgia que me faz lá estar todos os sabados durante a época dos sargos.
"Corrubedo o santuario dos Sargos"
Será um icone, um artigo que inflamará os jovens , menos jovens, em sonharem com a luta dos sargos gigantes....Para toda a vida!!

Grande Abraço
António Simões

Sargus disse...

Depois de Corrubedo Nada será igual..

Obrigado Miguel pela companhia!

Um dia destes "Os bravos" voltarão a descoberta...

Grande abraço.

Sargus disse...

Viva amigo António Simões, na realidade a pesca na Galiza é bem diferente da que estamos habituados, diferentes comportamentos do peixe implicam uma notória dedicação na compreensão dos mesmos, estão gordos e redondos, não se observam marisco comido na baixa mar, o que implica uma grande dedicação na escolha e selecção do pesqueiro e mais ainda um grande trabalho de engodagem.

O nosso entusiasmo reflecte-se na nossa amizade (Ericeira/alvalade/Odemira) grandes amigos, na maneira como fomos tratados pelas gentes locais e outros pescadores, na maneira como a natureza nos recebeu...

Em suma, Corrubedo é uma lição de pesca e de vida, esse o verdadeiro espirito da pesca.

Quanto a não nos termos conhecido, creio que outros dias virão certamente.

""Corrubedo o santuario dos Sargos"
Será um icone, um artigo que inflamará os jovens , menos jovens, em sonharem com a luta dos sargos gigantes.... Para toda a vida!!"

Mais do que a luta com os grandes sargos gigantes, fica a nostalgia de uma zona que me marcou a mim e aos meus companheiros para sempre...

Grande abraço caro amigo

Ricardo disse...

Viva aos companheiros dos "Bravos do Corrubedo"!!!

Sem dúvida um aspecto que me impressionou muito e foi uma agradável surpresa foi o bom estado de preservação e conservação da faixa litoral!

Quanto à camaradagem, amizade e companheirismo dos meus colegas de expedição, foi ao mais alto nível, o que já não é surpresa nenhuma para quem conhece esta rapaziada!

Só posso dizer que foi para mim uma grande honra e orgulho ter tido o privilégio de poder partilhar uns fantásticos dias com vocês todos e fico ansiosamente à espera da próxima expedição!

Grandes Abraços!!!

Ricardo Silva

Sargus disse...

Boas Ricardo.

Foi sem duvida uma honra e previlégio a nossa aventura por terras de nostros hermanos, correu tudo ás mil maravilhas, esquecemos-nos que por vezes a vida tem destas coisas boas e que temos de nos dar ao trabalho de as promover e organizar pois o paraíso existe e é no meio desta modalidade que nos une que retiramos coisas boas da vida.

Ficará eternamente gravado na minha memória.

Grande abraço Ricardo e obrigado por tudo.