Prestige 5 anos depois...

http://expresso.clix.pt/gen.pl?p=stories&op
=view&fokey=ex.stories/165697

InExpresso:

...O pedido de socorro emitido pelo petroleiro "Prestige", ( às 15h15 do dia 13 de Novembro de 2002 deu início a uma catástrofe ecológica que provocou o derrame de várias toneladas de fuel-óleo nas costas espanholas e francesas.
No ano do acidente com o "Prestige" cruzaram as águas galegas 43.209 navios, 12.446 dos quais transportavam mercadorias perigosas...

O fenómeno de entre ajuda foi dignificante para se ver que muita gente é sensivel a estas causas, infelizmente, o Prestige foi um navio petroleiro monocasco, que afundou na costa galega, produzindo uma imensa maré negra, que afetou uma ampla zona compreendida entre o norte de Portugal e Vendée em França, tendo especial incidência na costa da Galiza.

Cinco longos anos passaram, e a questão mantêm-se, em termos de segurança para situações alarmantes destas que políticas foram feitas e medidas tomadas?
Estaremos nós preparados para um acidente idêntico ou igual ao Prestige?
Por exemplo a zona Industrial de Sines, com o movimento de matérias perigosas de combustão estará preparado para uma eventualidade destas?
Dentro de uma situação similar à que ocorreu à cinco anos na Galiza estaremos nós preparados para um acontecimento idêntico?
Ou não teremos uma fauna e flora que mereçam essa preocupação?

Deixando uma homenagem a todos os que ajudaram a Galiza no combate de minimização e limpeza do acidente à cinco anos.



































in: http://dossiers.publico.pt/noticia.aspx?idCanal=1097&id=1175842





Organização Marítima Internacional

Fauna afectada por derrames

Plano de Acção do MCOTA

Ifremer

Xunta da Galiza

Quercus

WWF/Adena

SEO/Birdlife

Greenpeace

Plataforma Nunca Máis

2 comentários:

lmargalho disse...

para nunca mais esquecer o que aconteceu nesse dia, a nossa costa foi salva por milagre mas o mar é só um e esse foi muíto prejudicado por esta maré negra que nos aperta o coração.

prestiges nunca mais

lmargalho

Sargus disse...

Sim Margalho tens razão, para nunca mais esqueçermos, mas passados cinco anos, para caso de alguem se tenha esquecido, algures no planeta, masi concretamente no Mar Vermelho tivemos outra situação identica...

As costas afectadas jamais serão as mesmas... Infelizmente!

Abraço e obrigado pelo comentário.