Spinning - Capitulo I

 

Iniciando as jornadas de Spinnig este ano, um pouco tarde, pois o estado do mar não permitiu antecipar as mesmas, aceitei o convite do Pedro Rosa para lançarmos umas artificiais nas ondas, faltava apenas escolher o local.

Após a escolha, optamos por um misto de pedra e areia, onde a queda do mar proporcionava um óptimo espraiar da ondulação.

Chagando ao local comentei com o Pedro que estavam reunidas as condições para capturarmos uns exemplares, e ainda eu estava a efectuar o terminal mono, e já o Pedro tinha um exemplar ferrado...

Passado alguns lançamentos a varrer uma área de baía, optei por procurar um exemplar numa zona de profundidade considerável, mas com muita pedra, esses caneiros deram-me o primeiro exemplar.


O Pedro numa outra zona, ferrava outro exemplar idêntico ao primeiro que tinha capturado.

Resolvi assistir no mesmo local onde tinha acabado de efectuar a captura, mas tive de aguardar a passagem de um "set" que revolvia bastante a zona, ainda antes de acabar a passagem da ultima onda, efectuo o lançamento, dou duas maniveladas e ferro o meu segundo exemplar, proporcionava mais luta, mas vinha ferrado por fora da boca, conduzi-o para uma zona mais tranquila e coloquei-o com a ajuda do mar numa plataforma.


O Pedro efectua outra captura, e eu resolvo passar um carreiro a nado para aproveitar melhor a zona, pois estava a ficar sem água para colocar os artificiais a trabalhar, assim que subo a pedra efectuo o lançamento e faço meia dúzia de maniveladas, sinto a artificial a parar literalmente, algo semelhante a uma prisão numa pedra, mas aquela pedra literalmente mexia, pouco mas mexia, foi uma sensação daquelas, quinze segundos, talvez vinte, não sei ao certo, sei que agarrado ao artificial estava algo de grande, não o vi e nem lutei com ele, literalmente, soltou-se e ainda me ofereceu um símbolo de si, uma escama no triplo da artificial...

Por instinto efectuo novo lançamento e volto a ferrar outro exemplar, bastante mais pequeno que se solta à superficial, chamei o Pedro para o local que fez mais uma captura, ainda insistimos no local mais um pouco, mas ficamos sem água para lançar os artificiais e demos por terminada a jornada.


O Pedro efectuou quatro capturas.


Eu efectuei duas, o regresso valeu pela companhia, capturas e por aquele exemplar que nos deixa a sonhar...

Peso: 2,000 kg e 3,100 kg
Fundo: Misto
Maré: Baixa-mar
Multi-filamento: Dynacast - Bass Braid - Sakura 0,18 mm - 20 lb
Cana: Luxxe Spin - Vega
Carreto: Vega MT-40
Artificial: Akada

12 comentários:

Pedro Nunes disse...

Boas amigo Fernando :)
Já foi uma sessão interessante, eu também já tive essa sensação da pedra que se mexe um pouco por duas vezes pelo menos, e tal como tu o raio da pedra não quis sair :(
Mas um dia vai sair.
Abraço e parabéns, força aí.

Os Pescas disse...


Parabéns pelo começo, que apesar do grande não ter saído desta vez, nos faz voltar para tentar..:-)

Um abraço

Luís malabar

José Cunha disse...

Boas Fernando,
Bela faina, parabéns! :)
Pena o barrote, ficamos com uma sensação!!! Terás mais oportunidades certamente.
Abraço e força neles,

Rodrigo Zacarias disse...

Parabéns pela captura...e os próximos capitulos

Sargus disse...

Boas Pedro, foi bastante interessante, principalmente pela paragem forçada pela agitação marítima, ventos, cor da água, trabalho...

Pedras que mexem um pouco são o que procuramos, mas felizmente/infelizmente não são tão fáceis de sair como os outros, já diz a tal máxima dos pescadores "o maior ficou lá...", pudera!

Em Dezembro tive um em Março outro, não está mau, um dia vai sair...

:)

Grande abraço.

Sargus disse...

Boas Luís, é verdade, são estas coisas na pesca que nos motivam na procura.

Um abraço.

Fernando Encarnação

Manuel Oliveira disse...

Boas Fernando,
Parabéns pelas capturas!
Bom já estou mesmo a ver... quando tu começas com os capitulos... :)
Desconfio que foste lá tentar encalhar na pedra outra vez... :)

Forte Abraço e força

Sargus disse...

Boas José,

Grato pelo comentário, o barrote lá ficou, paciência, não podemos querer tudo, principalmente numa zona onde nunca tinha pescado, a aposta foi boa.

As oportunidade sairão certamente, basta que para isso se continue a ir ao mar, ele é generoso...

:)

Abraço e boas jornadas

Sargus disse...

Boas Roger,

Grato pelo comentário, cenas dos próximos capítulos apresentadas em breve...

:)

Cumps

Sargus disse...

Boas Manuel,

Mais ou menos...

:)

Capítulos é uma forma de definir uma numeração ás jornadas de spinning, ás quais irei mencionar e incluir o zero capturas para não desvirtualizar as jornadas sem existo neste espaço que registo a minha experiência de pesca.

Avanço-te que vêem aí uns peixinhos...

:)

Forte Abraço e força

Cristóvão Veríssimo disse...

Olá Fernando,

Parabéns pelo espaço e pela investida. Revelou-se bem positiva a sessão de mergulhos nas ondas!


Abraço

Sargus disse...

Boas Cris

Nesse dia houve banho mas não foi nas ondas, foi apenas a passar um carreiro, pois não ia preparado...

Abraço e boas fainas