Predator da Vega

Predator
Flexibilidade e leveza são os pontos fortes que caracterizam a PREDATOR da VEGA, uma boa opção a ter em conta na vertente, o “Spinning” de costa.

Esta vara possui ingredientes na sua composição que faz dela uma aposta inequívoca, nomeadamente: a construção da vara é composta por dois elementos, em “X-Wrapping carbon Kevlar Reinforced”, com peso de 255 gramas para um comprimento total de 3.30 metros e passadores “Fuji” em “Titanium” monopata.

Esta cana de acção progressiva é sem dúvida uma boa opção para o spinning costeiro em zonas acidentadas uma vez que o a sua relação tamanho peso é uma mais-valia em virtude de permitir o trabalhar dos exemplares de uma forma mais cómoda, desta forma teremos mais controle sobre a peça capturada e também mais controle em relação às ondas e aos possíveis obstáculos rochosos que para além de podermos perder um exemplar ou uma artificial, destroem muito rapidamente a pintura das artificiais e podem partir as palhetas ou as próprias artificiais, aqui o seu tamanho é bastante vantajoso.


A precisão e distância do lançamento dos artificiais são sem dúvida uma característica que este modelo nos oferece, uma vez que, sendo uma cana de acção progressiva e estando indicada para artificiais de 30 – 70 gramas (dados da marca), não existe qualquer problema de prestação de lançamento para artificiais de peso mais reduzido.


Este conjunto de factores e características devem ser tidos em conta quando queremos aliar a versatilidade à utilização de bons materiais na sua construção. Para o seu tamanho a escolha de um carreto, como por exemplo o Regal 40, optimiza a sua utilização, numa jornada seja ela qual for.

2 comentários:

MR disse...

Bom conjunto sem duvida, já tive a oportunidade de experimenta-lo, sem duvida em zonas de pedra pode ser muito vantajoso.

Ab

Sargus disse...

Boas Miguel.

Sim estou a gostar mesmo desta cana, é uma bela vara, efectua uns bons lançamentos e da para evitar as pedras, com peixe ferrado porta-se muito bem.

Abraço.